Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
Jornal Folha Sertaneja Online
Professor Nery

Conselhos de Machado de Assis para a sua pena (caneta)

Para quem pretende ser escritor

Publicada em 03/11/21 às 22:27h - 311 visualizações

por Francisco Nery Júnior


Compartilhe
Compartilhar a notícia Conselhos de Machado de Assis para a sua pena (caneta)    Compartilhar a notícia Conselhos de Machado de Assis para a sua pena (caneta)    Compartilhar a notícia Conselhos de Machado de Assis para a sua pena (caneta)

Link da Notícia:

Conselhos de Machado de Assis para a sua pena (caneta)
 (Foto: Da net)

O cronista Machado de Assis, então com 23 anos de idade, nos encanta com a conversa que entabula com a sua pena. É ela quem passa para o papel o que sai da cabeça do escritor. Verdade, leitor, não raras vezes, a sensação de ela estar escrevendo livre e solta sem o monitoramento – muito menos a interferência – de quem digita. Caldo de galinha e prudência não fazem mal a ninguém, enfatiza o maior escritor brasileiro.  Indo além, recomenda exaltar o gênio, cortejar o talento, ser justo e – fundamental – desprezar as nulidades, com “meias tintas”. O “Não te envolvas em polêmicas” explica, ou justifica, a crítica de alguns ao não engajamento efetivo de Machado de Assis na campanha abolicionista. Recomenda ainda o respeito aos leitores não se esquecendo que o texto será publicado no Futuro (na Folha ou no Ozildoalves), jornal de prestígio da época. E a [nossa]recomendação de o autor ler o texto mais de uma vez antes da publicação (e o leitor após a publicação) considerando que a repetição é a mãe dos estudos. Repetitio mater studiorum est. 

  

— Vamos lá; que tens aprendido desde que te encafuei entre os meus esboços de prosa e de verso? Necessito mais que nunca de ti; vê se me dispensas as tuas melhores ideias e as tuas mais bonitas palavras; vais escrever nas páginas do Futuro. Olha para que te guardei! Antes de começarmos o nosso trabalho, ouve amiga minha, alguns conselhos de quem te preza e não te quer ver enxovalhada . . . Não te envolvas em polêmicas de nenhum gênero, nem políticas, nem literárias, nem quaisquer outras; de outro modo verás que passas de honrada a desonesta, de modesta a pretensiosa, e em um abrir e fechar de olhos perdes o que tinhas e o que eu te fiz ganhar. O pugilato das ideias é muito pior que o das ruas; tu és franzina, retrai-te e fecha-te no círculo dos teus deveres, quando couber a tua vez de escrever crônicas. Sê entusiasta para o gênio, cordial para o talento, desdenhosa para a nulidade, justiceira sempre, tudo isso com aquelas meias-tintas tão necessárias aos melhores efeitos da pintura. Comenta os fatos com reserva, louva ou censura, como te ditar a consciência, sem cair na exageração dos extremos. E assim viverás honrada e feliz.  


Introdução de Francisco Nery Júnior  


Notas:  

. Entabular – iniciar, empreender  

. O Futuro – periódico luso-brasileiro, Rio de Janeiro, 1862 e 1863  

. Encafuar – de cafua, cova, caverna; esconder  

. Enxovalhar – sujar, manchar  

. Pugilato – luta, briga  

. Nulidade – sem talento, “burro”  

 




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

1 comentário


Francisco Nery Júnior

04/11/2021 - 19:51:07

Ousando complementar Machado de Assis, para ser um cronista: 1) ser, nascer vocacionado (talento), 2) procurar ou ter sensibilidade em relação aos fatos, pessoas ou sofrimento, 3) ter capacidade de observação, 4) desenvolver a capacidade analítica, 5) participar, penetrar e interagir em todas as áreas, 6) verificar (checar) fatos, dados e acontecimentos, 7) praticar a humildade.


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2022 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12