Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
Jornal Folha Sertaneja Online
Professor Nery

Moro pede demissão

Jair Bolsonaro perde a reeleição em 2022

Publicada em 24/04/20 às 14:30h - 1282 visualizações

por Francisco Nery Júnior


Compartilhe
Compartilhar a notícia Moro pede demissão  Compartilhar a notícia Moro pede demissão  Compartilhar a notícia Moro pede demissão

Link da Notícia:

Moro pede demissão
 (Foto: R7)


Se Jair Bolsonaro usou a caneta e ganhou uma batalha, certamente assinou a perda da reeleição no final de 2022. Se escapou de algo que não desejaria público, escancarou as portas da próxima eleição para a oposição – que redobrará o faro e fuçará o monte de lixo com muito mais avidez. A menos que o presidente se revele altamente ferino e calculista, algo, talvez, que Jânio Quadros tentou ser e afundou na História.


Sérgio Moro apareceu na sala de entrevistas do Ministério da Justiça com aparência desgastada e olhar sem foco. A sua língua não parecia articular o que lhe ia na cabeça. Em outras palavras, o agora ex-ministro da justiça demonstrava a decepção dos justos e a descrença que vale a pena insistir. Se Bolsonaro desejava lhe empurrar goela abaixo a demissão sem justificativa do superintendente geral da Polícia Federal, só lhe restaria o pedido de demissão.


Estamos argumentando sob a nossa ótica, sem primeiro “nos contaminar” com os comentários da grande mídia. Expomos a nossa argumentação do mais profundo rincão da Bahia; de Paulo Afonso. Com efeito, Bolsonaro preferiu ignorar a biografia do juiz Moro. Pensou estar – ainda – do outro lado da praça onde cumpriu 28 anos de atuação, lugar por onde alguns poucos “insujáveis” lamentam ter passado e onde um desses deixou escapar a sua vontade de, algumas vezes – e literalmente –, vomitar.


Sérgio Moro afirmou estar em um “encontro que não desejaria”, em dia de 469 mortes pela pandemia do Covid-19 no Brasil. Preferiria evitar aglomerações. Com estas duas afirmações iniciais, deixou claro a sua determinação de pedir demissão. O presidente Bolsonaro, infelizmente, não tem lamentado as mortes nem tem evitado as aglomerações – e odeia ser contrariado.


A turma do Ministério o aplaudiu de pé por 25 segundos. Os partidos de oposição certamente tentarão, insistentemente, daqui pra frente, cooptá-lo para ser candidato à presidência em 2022. Restará a Sérgio Moro, e somente a ele, após se recolher para umas boas férias, a decisão. O caminho está aberto. Longe de Bolsonaro, não resta dúvida, a sua taxa de aprovação pelos brasileiros certamente vai subir.


Para o Senado, o cargo de senador por um grande estado como Rio ou São Paulo está garantido. Se as circunstâncias não revelarem outro postulante com maior confiabilidade e envergadura, e se Jair Bolsonaro não interromper a autofagia, Sérgio Moro será nosso presidente a partir de 2023.

Francisco Nery Júnior




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2022 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12