noticias Seja bem vindo ao nosso site Jornal Folha Sertaneja Online!

Professor Galdino

Homenagem às mulheres da ALPA e a todas as mulheres nesse dia especial: 8 de março – Dia Internacional da Mulher...

Publicada em 08/03/21 às 13:00h - 1139 visualizações

Antônio Galdino


Compartilhe
Compartilhar a noticia Homenagem às mulheres da ALPA e a todas as mulheres nesse dia especial: 8 de março – Dia Internacional da Mulher...   Compartilhar a noticia Homenagem às mulheres da ALPA e a todas as mulheres nesse dia especial: 8 de março – Dia Internacional da Mulher...   Compartilhar a noticia Homenagem às mulheres da ALPA e a todas as mulheres nesse dia especial: 8 de março – Dia Internacional da Mulher...

Link da Notícia:

Homenagem às mulheres da ALPA e a todas as mulheres nesse dia especial: 8 de março – Dia Internacional da Mulher...
 (Foto: Arquivo da ALPA)


Hoje, o mundo reverencia a beleza, a ternura, a meiguice, a força, a inteligência, o afeto, o carinho, a capacidade de fazer tudo e ainda o sorriso que quebra qualquer situação desagradável. A mulher tem, sim, esse poder que as vezes nem ela acha que tem. Quer saber qual a força de uma mulher? Mexa com suas crias. Ela vira uma leoa em sua defesa.

Nas profissões, antes tidas com exclusivas dos homens, elas dominam e dão aulas pros marmanjos...

Por todos esses predicados, a mulher tem sido, ao longo da vida, dos séculos, dos milênios, a musa inspiradora dos poetas e prosadores.

Deus que tudo sabe e tudo vê, escolheu a mulher, simples, humilde, anônima, do meio do povo simples, para ser a mãe do Salvador do mundo...

Criou-se um dia, no mundo, para que seja exaltada, homenageada, apenas para que todos possamos lhe dizer, nesse Dia Internacional da Mulher, que dela, das mulher, são todos os dias, onde ela, reina, ama, se enternece, chora, ri e afaga com o seu ser tão especial, aqueles que rodeiam o seu trono...

A Academia de Letras de Paulo Afonso tem 38 membros, escritores e escritoras, poetas e poetisas, cordelistas, violeiros, historiadores, pesquisadores.

Desse total de gente que pensa, escreve, busca informações e sobretudo que deixa que seus sentimentos explodam em versos falando de coisas, de ambientes, lugares e de pessoas.

Entre os 38 membros da ALPA, sete são mulheres, todas MARIAS, as MULHERES DA ALPA: Jovelina Maria Ramalho, Maria Socorro de Mendonça, Maria do Socorro Araújo, Maria da Glória Lira, Maria Cleonice de Souza Vergne, Maria Gorette Moreira e Maria Telma Barbosa Aciole de Lima.

JOVELINA RAMALHO – carioca, cidadã de Paulo Afonso, professora, bacharel em Direito, poetisa, cordelista e, quando tem oportunidade, alegra os eventos da ALPA com sua linda voz. Já escreveu três livros e tem participação em vários outros. Acaba de estar entre as primeiras em concorrido concurso literário. Tem participado ativamente presencialmente, antes da pandemia e apoiando de forma remota, levando o projeto da ALPA “O Escritor Vai à Escola” a várias escolas públicas de Paulo Afonso. É a Secretária Geral da ALPA, na atual gestão.

SOCORRO DE MENDONÇA – Nasceu no Ceará e ainda menininha se achegou por aqui. Virou cidadã dessa terrinha hospitaleira. Pedagoga, Professora, também poetisa de mão cheia. Já ganhou concursos e escreveu vários livros e tem participado de muitas antologias poéticas. No seu livro mais recente, Cozinhar 100 Segredos, mostra os seus dotes culinários. Também tem participado ativamente presencialmente, antes da pandemia e apoiando de forma remota, levando o projeto da ALPA “O Escritor Vai à Escola” a várias escolas públicas de Paulo Afonso.

SOCORRO ARAÚJO - Pauloafonsina, Pedagoga, Professora, Bacharel em Arqueologia. Podem chama-la de Marajana que é como assina suas belas poesias que estão em alguns dos seus livros e em outros, Antologias poéticas da região. Também tem participado muito ativamente presencialmente, antes da pandemia e apoiando de forma remota, levando o projeto da ALPA “O Escritor Vai à Escola” a várias escolas públicas de Paulo Afonso. É a diretora tesoureira da ALPA atualmente.

GLÓRIA LIRA – Paraibana de Esperança - Historiadora e Bióloga, tem uma história de gestão de atividades culturais no município de Paulo Afonso o que a fez ser membro fundadora da ALPA onde tem contribuições muitos preciosas. A sua experiência a leva a coordenar as ações de organização da Biblioteca Abel Barbosa, criada pela ALPA e a ser instalada no Memorial Abel Barbosa este ano.

CLEONICE VERGNE – Baiana, soteropolitana, também foi acolhida por Paulo Afonso. Professora da UNIRIOS e da UNEB por muitos anos, Doutora e Pós-Doutora na área de Arqueologia, tem uma grande história da descoberta e organização dos sítios arqueológicos de Xingó que resultaram na criação do Museu Arqueológico de Xingó quando do enchimento da barragem e, mais recentemente, ainda na gestão do ex-prefeito Raimundo Caires a identificação de cerca de 100 sítios rupestres no município de Paulo Afonso, na região do Rio do Sal, Malhada Grande, Mão Direita dentre outros lugares que gerou um livro chamado Pedras Pintadas.

MARIA GORETTE MOREIRA –Pernambucana de Triunfo - Pedagora, Professora, Bacharel em Direito, escritora, poetisa, publicou o seu primeiro livro ainda dos tempos do Movimento Modernismo. Atua também como Secretaria Executiva da Câmara Municipal de Paulo Afonso e é presidente da Associação Comercial de Paulo Afonso. Tem participado ativamente dos movimentos que têm trazido benefícios para a mulher em Paulo Afonso, como a luta para a criação da DEAM. É a vice-presidente da ALPA, na atual gestão.

THELMA ACIOLY – Pauloafonsina dos primeiros tempos - Escritora, estudou durante a sua infância e adolescência nas escolas da Chesf em Paulo Afonso de onde guarda as melhores recordações que lhe renderam um livro chamado Um rio que mora em mim, que traz suas vivências com o rio São Francisco, dentre outros livros que já escreveu. Há anos, esta pauloafonsina mora em São Paulo. É membro correspondente da ALPA.

Estas poucas referências sobre cada uma dessas mulheres são apenas para lembrar a cada uma delas que elas são essenciais, importantes na caminhada desta Academia de Letras de Paulo Afonso e que esta lembrança pública desta sua importância no DIA INTERNACIONAL DA MULHER é uma forma de dizer a todos do nosso reconhecimento destes valores imensos de cada um, muito importantes para a ALPA, todos os dias.

Que estas 7 MULHERES DA ALPA continuem alegrando a todos com a sua presença entre nós por muitos anos.

E com isso, todos seremos felizes!

Feliz Dia Internacional para todas as mulheres e para estas nossas 7 Mulheres da ALPA. Por estas pauloafonsinas, escritoras, poetisas, saudamos e homenageamos todas as mulheres de Paulo Afonso e de todos os lugares.

É certo que a data de hoje remete a um fato triste e delicado, que deu origem à maior valorização da mulher... Mas que esse dia pode perfeitamente ser um momento de mimos, obviamente que pode. Assim, parabéns, mulheres, pelas muitas vitórias e pela luta que continua... mas, por favor, continuem musas inspiradoras de poetas e sonhadores...

Quem inventou o Dia Internacional da Mulher o fez apenas para que todos nós nos lembrássemos que, da Mulher são todos os dias. Linda ou mal cuidada, doce ou birrenta, jovem ou em qualquer idade, da mulher, se ela quiser, salta aos olhos a meiguice, a beleza, a pureza, a fortaleza, o aconchego, a ternura, o amor. Feliz Dia da Mulher, todos os dias!!!

PARABÉNS!!!

Professor Antônio Galdino da Silva

Presidente da ALPA

Paulo Afonso/BA, 8 de março de 2021

 




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

2 comentários


ISAC DE OLIVEIRA

08/03/2021 - 21:18:14

Minha homenagem as mulheres mencionadas. Faço em poesia de minha lavra.AS MULHERESParabenizo todas as mulheres, Cantadas e decantadas, desejadas ou não!Menos arrumadas, mais ajeitadas,As musas e as que não são amadas.As que lutam por igualdade!As que sonham e são fantasmas de quem dorme.As mulheres mães e as que lutam para ser.Aquelas que são a inspiração para as composiçõesE as que consolam os que pagam para tê-las com brevidade.Mulheres de todo cheiro e nação,De qualquer etnia e fervor.As que partiram e não deixaram saudadesE aquelas que nunca se deixaram ir.As cruéis e desalmadas, As que pararam o poeta E as que açoitam os versos ainda guardadosA todas elas, flores, perfume e um coração!Mulheres que têm a sina fatiganteMesmo assim, aplacam a desgraçaRindo-se vermelho carmim e cantanteDe qualquer idade, sabem parar o tempoAs feias? Só são as que querem ser!Mulheres que choram, riem, surtamTudo de uma vez e ainda se recompõem altivas. Dançando e amando são quão Pomba gira!Quando mães, são santas e mártires vivas!Gozam fôlego de sete gatos. Se humanizam desumanizando homensE humanizam homens desumanizadosInflamam guerra e laboram pela paz.Marcam a ferro e fogo qualquer infantilizado Brincam com a vaidade e a sorteDesafiam o destino e num só golpe são a felicidade.


F. Nery Jr.

08/03/2021 - 18:15:40

Abraço fraterno de nós outros às nossas colegas. As bençãos de Deus sobre elas e sua famílias.


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2024 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12
Converse conosco pelo Whatsapp!