noticias Seja bem vindo ao nosso site Jornal Folha Sertaneja Online!

Artes & Literatura

A Academia de Letras de Paulo Afonso realiza o SALIPA em sua sede. Enfim em casa, depois de uma caminhada de mais de 18 anos

Evento acontece dias 25 e 26 de abril

Publicada em 26/04/24 às 16:02h - 192 visualizações

Antônio Galdino


Compartilhe
Compartilhar a noticia A Academia de Letras de Paulo Afonso realiza o SALIPA em sua sede. Enfim em casa, depois de uma caminhada de mais de 18 anos  Compartilhar a noticia A Academia de Letras de Paulo Afonso realiza o SALIPA em sua sede. Enfim em casa, depois de uma caminhada de mais de 18 anos  Compartilhar a noticia A Academia de Letras de Paulo Afonso realiza o SALIPA em sua sede. Enfim em casa, depois de uma caminhada de mais de 18 anos

Link da Notícia:

A Academia de Letras de Paulo Afonso realiza o SALIPA em sua sede. Enfim em casa, depois de uma caminhada de mais de 18 anos
 (Foto: Antônio Galdino e membros da ALPA)

Dia 25 de abril de 2024, pouco depois das 16 horas, a diretoria e membros da Academia de Letras de Paulo Afonso receberam o Padre Raimundo, da Catedral N.S.de Fátima e o Pastor Manfred, da Igreja Batista Nova Aliança, para uma solenidade de forte simbolismo para todos: a bênção da sede desta Academia de Letras, um lugar para ser espaço de encontro regular dos que atuam na Cultura Literária do Município em atividades próprias e outras envolvendo outros segmentos culturais de Paulo Afonso ou convidados.

Ali estavam, da ALPA, Sebastião Leandro de Moraes (membro honorário), Gorette Moreira (19)(secretária geral), Maciel Teixeira(11) (tesoureiro), Socorro Araújo(5) (assessora de comunicação e relações públicas), Ivus Leal(17), Socorro de Mendonça(10) (vice-presidente), Isac Oliveira(37) (presidente), João de Sousa Lima(6), Luiz José(9), Jovelina Ramalho(12), Antônio Galdino(14), Ruvervânio Lima(23),  Aníbal Nunes(40), e logo depois da foto chegou Jean Roubert(25).

Paulo Roberto - Presidente do Conselho Municipal de Cultura de Paulo Afonso

À frente, Rogério Xavier - Superintendente de Cultura da SECULTE

Também presentes, Rogério Xavier, Superintendente de Cultura da SECULTE, Paulo Roberto, Presidente do Conselho Municipal de Cultura, Jacqueline Rodrigues, presidente da Academia Piranhense de Letras e Artes, Major Estevam Fernandes, representante do 20º Batalhão de Polícia Militar e a animação contagiante do músico e cantor Izael de Jesus.

Padre Raimundo, da Catedral N. Senhora de Fátima - Paulo Afonso-BA

Via-se, tanto nas falas do Padre Raimundo como do Pastor Manfred e em cada um dos membros da ALPA a alegria, eu diria até um respirar aliviado por se ter agora este espaço que, mais à frente estará oferecendo à comunidade local e aos visitantes o conhecimento da história de Paulo Afonso e da região no seu entorno, quando se organizar o Memorial Abel Barbosa, que será também administrado por essa Academia de Letras, conforme a Lei Municipal Nº 1455/2020, sancionada em 27 de outubro de 2020 pelo Prefeito Luiz Barbosa de Deus. 

Pastor Manfred, da Igreja Nova Aliança - Paulo Afonso-BA

Com esse Memorial vai se poder fazer com que os estudantes do município possam conhecer toda esta história do lugar onde nasceram, pois, constatamos todos e como afirmou o Padre Raimundo em sua edificante mensagem “pois nada sabem sobre o lugar onde vivem, sobre o chão onde pisam”

E, nos lembramos dos versos do poeta Olavo Bilac chamado A Pátria cuja mensagem também pode ser trazida para esta nossa terra sertaneja, quando ele diz:

Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!

Criança! não verás nenhum país, (lugar), como este!

...

Boa terra! jamais negou a quem trabalha

O pão que mata a fome, o teto que agasalha...

O SALIPA, Sarau Literário de Paulo Afonso, organizado pela Academia de Letras de Paulo Afonso e realizado nos dias 25 e 26 de abril de 2024, com o apoio da Lei Luiz Gustavo, marca a posse real das instalações localizadas entre as Avenidas Landulfo Alves e Otaviano Leandro de Moraes em Paulo Afonso, um prédio construído pela Chesf no início dos anos cinquenta e onde funcionou, por muitos anos, a Prefeitura Municipal de Paulo Afonso.

E ali estava Jorge Henrique, que logo será empossado como membro da ALPA, já aprovado pela Academia. Ele e sua Geladeira Cultural estão sempre presentes em eventos culturais de Paulo Afonso, também na área rural e em cidades vizinhas.

Da esquerda: João de Sousa Lima (ALPA - membro fundador Cadeira 6), Jacqueline Rodrigues (Pres. APLA - Piranhas/AL), Isac Oliveira ALPA - presidente. Membro efetivo, Cadeira 38) e Gorette Moreira (ALPA - sec. geral - membro efetivo. Cadeira 19)

E como foi agradável receber mais uma vez em Paulo Afonso, em eventos da ALPA a presidente da Academia Piranhense de Letras de Artes - APLA, da nossa vizinha cidade de Piranhas/Alagoas, a confreira Jacqueline Rodrigues.

Socorro Araújo, membro fundadora da ALPA, Cadeira 5 e Edilson Vieira

Este Sarau Literário de Paulo Afonso, o primeiro realizado na nova sede da ALPA, que antes estava instalada em pequena sala da Casa da Cultura, teve também, além do seu simbolismo, pelo fato de “se estar em casa”, uma grande carga de emoção, desde os versos fortes do poema Pivete, declamado por Socorro de Mendonça, vice-presidente da ALPA, que revela ainda a dura realidade em que vivemos, ao momento em que, em uma encenação improvisada, Socorro Araújo e Edilson Vieira fizeram uma homenagem in memoriam a Dolores Moreira, teatróloga, membro da ALPA – Cadeira 20, que nos deixou recentemente.

Isac Oliveira, presidente da ALPA, membro efetivo, Cadeira 38.

A fala do presidente Isac de Oliveira mostrou a preocupação com a manutenção dessas atividades culturais, porque como deixou bem claro o orador, “a ALPA não existe como instituição cultural maior ou menor que nenhuma outra e sempre buscará trabalhar em harmonia com outros segmentos culturais que se complementam.”

Por seu turno, o ex-presidente da ALPA, Professor Antônio Galdino disse da sua alegria de ver esse sonho da sede da ALPA, “sonho tão sonhado e tão sofrido, enfim se tornar realidade”.

Lembrou o Professor Galdino que “a ALPA, sem falsa modéstia reúne um número considerável de acadêmicos que certamente têm contribuído e irão continuar contribuindo com a sugestão de projetos e atividades que muito enriquecem esse município, tendo em vista o elevado nível de formação acadêmica dos seus membros com pós-doutores, doutores, mestres e especialistas nas mais variadas áreas do conhecimento e todos são gente simples, de conversa, de bate-papos com as pessoas mais humildes, enquanto também são grandes referências em suas áreas de atuação”.

Socorro de Mendonça, membro fundadora da ALPA - Cadeira 10

A aula de Socorro de Mendonça sobre comida alternativa que ele faz e fez para trazer para todos degustarmos – e que delícia de alimentação – encantou a todos. Pena que o seu livro “Cozinhar 100 Segredos” já esteja esgotado... Quem sabe, vem aí uma nova edição...

Izael de Jesus

A música de Izael de Jesus, durante a celebração da bênção às instalações e durante o restante do evento com a interpretação de música brasileira de qualidade, foi outro ponto alto.

Anibal Nunes, Socorro Araújo, Antônio Galdino, Ivus Leal, Jean Roubert, Jovelina Ramalho, Luiz José, Isac Oliveira, Socorro de Mendonça, João de Sousa, Rubervânio Lima e Gorette Moreira

O próprio reencontro dos escritores, o que não acontecia há um bom tempo, foi tocante. Ali estava o professor Ivus Leal, carregando nas costas quase 83 anos de vida para mostrar o seu novo livro criado há pouco chamado RETALHOS e Rabiscos...

Edionaldo Souza e Gorette Moreira, membro efetivo da ALPA, Cadeira 19.

A presença do poeta e cordelista Edionaldo Souza falando sobre a Metodologia do Cordel, essa arte nascida na França, trazida ao Brasil pelos portugueses, mas tão nordestina que parece ter nascido nesses sertões, reconhecida em setembro de 2018 como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro pelo IPHAN, trouxe riqueza ao evento.

E novamente a música do mestre da guitarra Igor Gnomo e banda, encerrou a primeira noite do SALIPA deixando todos os organizadores, cansados das muitas tarefas, mas leves por todo o simbolismo e momentos que esse primeiro dia do evento proporcionou a todos.

O número de pessoas presentes não foi grande, mas foi bem significativo considerando que o evento da ALPA estava (está) sendo realizado no memo tempo em que a cidade recebe milhares de motociclistas que participam do Moto Paulo Afonso, consagrado evento.

Hoje, 26 de abril – segundo dia do SALIPA

E o SALIPA continua nesse 26 de abril, a partir das 16 horas, quando estará aberta a Exposição e venda de livros de autores da ALPA e convidados.

Às 17 horas, todos poderão se deleitar com a música regional de Luanderson e Banda.

Às 18:30 horas, todos certamente ficarão felizes com os poemas que o poeta Marquinhos da Serrinha estará apresentando mais uma vez em Paulo Afonso. Ele já participou da 4ª Bienal do Livro de Paulo Afonso e de vários momentos da Mala do Poeta, projeto cultural criado e apresentado pelo poeta Jotalunas, também membro da ALPA, cadeira 21.

Às 19:30 horas acontecerá um momento que todos os educadores, professores, deveriam assistir. Será uma Mesa Redonda, com os Professor Doutor Jacques Fernandes, que é membro da ALPA, cadeira 39 e os também Professores Doutores, Vinícius Santos e Ivandro Menezes com o tema Práticas Docentes, Literatura e Produção de Textos: horizontes da Educação. Em parceria com a Academia de Letras de Paulo Afonso.

Todos estão convidados.

Em outro artigo, falaremos sobre a Lei 1.455/2020 e sobre a história do prédio hoje sede da Academia de Letras de Paulo Afonso e em breve também do Memorial Abel Barbosa.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

1 comentário


Socorro Mendonça

26/04/2024 - 17:49:41

Obrigada imortal e mestre das letras, ANTÔNIO GALDINO. Acordamos de um sonho e nos vimos em casa. Serenos eternamente agradecidos à você, que deu o primeiro passo para esta CONQUISTA - a ALPA com sede própria. Ontem seria o dia de esgotar a primeira edição do meu livro. A venda foi rápida e a degustação das receitas surpreendeu a todos. Como falei, o Brasil é o país de desperdício... até creio, que pela falta de conhecimento dos valores nutricionais e o preparo de receitas alternativas. Há muito tempo, tenho promovido oficinas, mine cursos e palestras, não só visando os fins econômicos, mas, dando o anzol para quem quer aprender pescar.


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2024 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12
Converse conosco pelo Whatsapp!