Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
Opinião/Reflexão/Crônica

OPERAÇÃO FAROESTE

Publicada em 18/10/21 às 00:29h - 219visualizações

por Isac Oliveira - Advogado


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: Net - Informe Blumenau)

A operação FAROESTE nasceu para investigar o denunciado esquema de corrupção e vendas de sentenças na Bahia. A ação foi perpetrada por 13 desembargadores e 12 juízes, todos são membros da máxima Corte.

Para a prática vergonhosa, os “homens e mulheres da lei” contaram com 15 advogados, 15 parentes dos envolvidos e outros 16, entre servidores públicos e políticos.

Todavia, para se safar, a também partícipe, desembargadora Sandra Inês Rusciolelli, se ofereceu a delação premiada. Os fatos anunciados pela delatora, com a riqueza de detalhes, a mim não causaram perplexidade, só muita náusea!

Como operador do direito, sempre disse que a justiça não existe, lutamos por ela! Entretanto, constato agora, que a situação, se pudesse ser materializada, seria um grande buraco de excremento, transbordando para todo lado, para desonra da magistratura.

Constato na linha do tempo, que cada um dos envolvidos cuidou de represar a gigante latrina, para enriquecimento ilícito próprio!

Imagino o sofrimento dos muitos juízes probos, lutando para não serem atingidos pelos dejetos! Volto a mim, ao longo de praticamente trinta anos, guerreado sozinho nessa perversa labuta, que travei apenas com a arma da lei, essa que as vossas excremências, ignoravam dia sim, dia sim, também, para favorecerem “os amigos do rei”.

Antes tarde do que nunca! Aliás, a alcunha para a operação (Faroeste), justifica bem o esquema: é coisa de cinema - só a título de valores bloqueados, conta-se a “bagatela” de 581 milhões!

Nesse enredo nada é ficcional, salvo, o título de cônsul da Guiné Bissau, a que se atribui Adailton Maturino, o protagonista do horrendo esquema.

Nessa seara, o combalido Tribunal de Justiça da Bahia, o mais antigo do país, desceu ao insalubre fundo do poço. Oxalá! Mais tarde, sobressaia triunfal.

Calha concluir dizendo: “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”. Frase de Rui Barbosa, o patrono do Tribunal de Justiça da Bahia!

Por Isac Oliveira - Adv.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2021 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12