Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
Opinião/Reflexão/Crônica

Uma orquestra para Paulo Afonso

Publicada em 04/12/19 às 13:01h - 826 visualizações

por Francisco Nery Júnior


Compartilhe
Compartilhar a notícia Uma orquestra para Paulo Afonso  Compartilhar a notícia Uma orquestra para Paulo Afonso  Compartilhar a notícia Uma orquestra para Paulo Afonso

Link da Notícia:

Uma orquestra para Paulo Afonso
Orquestras do Nordeste  (Foto: da Net)

O maestro João Carlos Martins foi um grande pianista. Até que uma inexplicável doença nas mãos lhe aconteceu. Os dedos se tornaram rígidos. As várias cirurgias apenas atenuaram os sintomas. O João Carlos pianista se tornou maestro.


Passei boa parte da minha infância e adolescência nos bastidores de uma orquestra. O meu pai tocava contrabaixo na Orquestra Sinfônica da Universidade Federal da Bahia (o meu tio pelo lado materno tocava flauta). O meu irmão, que era um excelente zagueiro nos babas de rua e nos campos dos vales de Salvador, não conseguia entender que eu, de bom grado e boa-fé, acompanhava o meu pai nos ensaios e nos concertos naquele tempo no salão nobre da Reitoria da Universidade.


Foi lá que conheci o maestro Carl Reuter, vi a mão quase perdida do violoncelista Walter Smetak e fui apresentado ao ator da hora Geraldo Del Rey. Smetak havia tentado “estender” o alcance dos dedos para os acordes do instrumento, o que lhe causou brutal infecção. De Carl Reuter, a lembrança, quase trauma, do banho de cuspe que tomei. Dessa vez o ensaio acontecia na Concha Acústica do teatro Castro Alves e ventava muito. Sobrou pra mim segurar as partituras do maestro que, de cima para baixo, num txu-txu-txu sem fim, lançava em minha direção uma nuvem aterradora de partículas de saliva. Em casa, o banho mais demorado que já tomei na vida.


O mundo da música é simplesmente encantador. Aprende-se a gostar de música clássica. É uma questão de educar o ouvido e aprimorar o gosto. Assimilando o gosto pela boa música, o leitor jamais tolerará zoada e barulho. Navegará nos acordes dos temas clássicos e apreciará os doces sambas dos velhos mestres dos morros do Rio de Janeiro.


Pois o maestro João Carlos Martins se dispõe a assessorar os senhores prefeitos na formação de uma orquestra sinfônica de jovens nos municípios brasileiros. Para isto foi elaborado um projeto e já existem orquestras em 150 municípios. Os testemunhos de transformação e de aproveitamento dos jovens são encorajadores.


O maestro costuma pegar o telefone e ligar para o prefeito da cidade. Quando ligar para o nosso prefeito, esperamos que a resposta seja imediatamente um grande e redondo SIM.

Francisco Nery Júnior

Academia de Letras – Cadeira 18




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2022 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12
Converse conosco pelo Whatsapp!