Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
Especiais

Cuidados com a pele de pessoas com diabetes precisam se intensificar no inverno

Especialistas explicam os perigos do ressecamento cutâneo para quem tem diabetes e dão dicas para manter a hidratação

Publicada em 21/06/22 às 15:00h - 92 visualizações

por Jornal Folha Sertaneja Online


Compartilhe
Compartilhar a notícia Cuidados com a pele de pessoas com diabetes precisam se intensificar no inverno  Compartilhar a notícia Cuidados com a pele de pessoas com diabetes precisam se intensificar no inverno  Compartilhar a notícia Cuidados com a pele de pessoas com diabetes precisam se intensificar no inverno

Link da Notícia:

Cuidados com a pele de pessoas com diabetes precisam se intensificar no inverno
 (Foto: Jornal Folha Sertaneja Online)

São Paulo, 21 de junho de 2022 – A onda de frio já chegou ao País no início de maio e pegou muita gente de surpresa. Na cidade de São Paulo, por exemplo, houve registro de 1,1°C de temperatura mínima absoluta no extremo da Zona Sul da cidade. Quando as temperaturas caem, os cuidados com a hidratação da pele precisam ser redobrados e isso é especialmente importante para quem tem diabetes. 

“Com o clima mais frio e seco e a aproximação do inverno, o organismo fica submetido a um ambiente diferente daquele observado nos meses mais quentes, e a pele fica mais sensível e sujeita a ressecamentos”, explica a Dra. Maria Frantzezo, Dermatologista consultora do Minuto Saudável

Sinais de alerta

“Pessoas com diabetes precisam ter atenção constante para quaisquer machucados e também ressecamentos mais proeminentes que possam levar a descamação e sangramentos. Os principais sinais de que a pele está seca é que ela fica mais opaca e descamativa. Quando vermelha e irritada, podem surgir fissuras, que são possíveis portas de entrada para fungos e bactérias, causando infecções de pele, desde as camadas superficiais até as mais profundas. Em todos os casos, os diabéticos precisam buscar tratamento assim que notarem qualquer alteração na saúde de sua pele, não só para fins de tratamento, mas para prevenção também”, alerta a médica. 

Pé diabético

Segundo Tatiane Coradassi Esmanhotto, Enfermeira do Centro de Diabetes de Curitiba (PR) e consultora do Minuto Saudável, aqueles que têm diabetes apresentam excesso de glicose no organismo e tendem a eliminar o excesso de açúcar através da urina, levando o corpo a maior perda de água. “Esta situação, associada ao clima seco, provoca uma textura áspera na pele, descamações e até mesmo rachaduras. As alterações cutâneas mais frequentes são aquelas localizadas nos pés, porque são naturalmente mais secos e as pessoas se esquecem de que é preciso hidratá-los”, explica a enfermeira, que é especialista em feridas de pé diabético.

Segundo ela, a desidratação (falta de água no corpo), glicemia alta e má irrigação do sangue podem levar a complicações, como exemplo a neuropatia diabética, responsável por causar ressecamento severo, demandando uma atenção ainda maior para os pés.

A enfermeira ressalta que óleos corporais não são recomendados, pois além de não hidratarem, dificultam a renovação da pele, fazendo com que a pele descame, facilitando a entrada de infecções.

Hábitos

“Para se precaver, o indivíduo com diabetes deve controlar sua condição com visitas regulares ao médico endocrinologista. Ele deve seguir as recomendações médicas, desde as medicamentosas até sobre os hábitos de dieta e exercícios”, aconselha a Dra. Maria Frantzezo. Com relação à pele, ela precisa sempre de atenção especial. É o maior órgão do corpo humano e tem funções importantíssimas, entre elas, a proteção de todo o corpo contra agressões externas.

Ritual de limpeza e hidratação 

No cuidado diário com a pele seca, quem tem diabetes deve seguir tratamento específico. “É preciso primeiro higienizar, utilizando água morna e sabonetes de limpeza pouco agressivos (syndets), compatíveis com o pH da pele e não alcalinos. Quanto menos espuma o sabonete fizer melhor, pois será menos nocivo para a proteção natural da pele”, comenta a Dra. Maria. 

“Em seguida, é importante dar preferência para cremes hidratantes potentes ao invés de loções hidratantes (os cremes têm uma capacidade de hidratação maior), sem cor e com menos perfume. Protetores solares específicos também podem ser prescritos. No geral, é importante que a pessoa com diabetes utilize dermatológicos ou cosméticos recomendados especialmente para ele”, reforça.

“Os cremes hidratantes são mais eficazes quando aplicados logo após o banho, quando os poros ainda estão dilatados. Desta forma, eles conseguem penetrar com muito mais eficiência, criando uma camada de proteção na pele que evita, inclusive, a perda de umidade que acontece naturalmente após o banho”, ensina a Dra. Maria.

"No inverno, deve-se evitar banhos quentes e demorados ou o uso de esponjas ou buchas que aumentam o atrito e destroem a camada superficial da pele. Além disso, o uso excessivo de sabão remove uma barreira protetora da pele composta por água e gordura. Apesar de não existir “cura” para a pele com tendência a ressecamento, os cuidados diários garantem maciez e resistência, impedindo o surgimento de problemas”, conclui a dermatologista. 

Sobre o Minuto Saudável - Presente na internet desde 2017, traz informações claras e confiáveis sobre saúde e bem-estar: doenças, sintomas, tratamentos, medicamentos, alimentação, exercícios e mais, para uma vida mais saudável e equilibrada. O site é do Grupo Consulta Remédiosmarketplace que através de suas soluções, facilita a vida de milhões de pessoas, com informações que vão desde bulas até informações sobre medicamentos e produtos de beleza e bem-estar, oferecendo comparação de preços e proporcionando economia em centenas de farmácias de todo o Brasil.

Sobre a Dra. Maria Frantzezo - Formada em Medicina pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1998), é especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. Médica responsável pela Clínica MK Derma de Curitiba (PR), é membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica e da Academia Europeia de Dermatologia.

Sobre a Enfermeira Tatiane Coradassi Esmanhotto – Graduada em Enfermagem pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (2009), é enfermeira coordenadora do Ambulatório de Prevenção e Tratamento de Feridas do Centro de Diabetes de Curitiba. Especialista em feridas de pé diabético, tem ampla experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Podiatria Clínica. 

Agência Comunicado

Larissa Gregorutti/ Cecilia Loreto Mack/ Vilma Silveira

Tel./ WhatsApp: (11) 97127-3719/ (11) 99914-7831

larissa@agcomunicado.com.br

cloreto@agcomunicado.com.br

vilma@agcomunicado.com.br


ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2022 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12