Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
Jornal Folha Sertaneja Online
Educação & Cultura

13 de abril de 2022 - Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso – CERSPA completa 64 anos

Publicada em 14/04/22 às 01:48h - 300 visualizações

por Antônio Galdino


Compartilhe
Compartilhar a notícia 13 de abril de 2022 - Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso – CERSPA completa 64 anos   Compartilhar a notícia 13 de abril de 2022 - Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso – CERSPA completa 64 anos   Compartilhar a notícia 13 de abril de 2022 - Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso – CERSPA completa 64 anos

Link da Notícia:

13 de abril de 2022 - Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso – CERSPA completa 64 anos
 (Foto: Divulgação e Arq. Folha Sertaneja)

Nesta quarta-feira, dia 13 de abril de 2022, o Colégio Sete de Setembro, o UNIRIOS e todos os espaços associados a Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino Ltda. trazem à lembrança os primeiros e difíceis tempos do nascimento do Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso, o CERSPA que, nesta data completa 64 anos de vida.

Obviamente que é impossível se falar na criação deste Centro Evangélico, no ano de 1958, já voltado para a assistência social aos mais carentes do povoado Forquilha, a Vila Poty, o Distrito de Paulo Afonso, sem falar de pessoas que sonharam com a oferta de apoios a estes mais necessitados.

Para se falar do CERSPA, na Escola Evangélica Antônio Balbino que o antecedeu, no Ginásio/Colégio Sete de Setembro, na FASETE/UNIRIOS, vai-se encontrar sempre o dinamismo, o sonho, o desejo do Professor Gilberto Gomes de Oliveira de promover uma mudança da qualidade de vida dessas pessoas da Vila Poty que, às centenas, milhares até, estavam sem acesso à escola e levando uma vida difícil...

Tive a oportunidade de conversar muitas vezes com o Professor Gilberto Gomes de Oliveira quando ele falou do nascimento, primeiro da Escola Evangélica Antônio Balbino, na Vila Poty e depois sobre o CERSPA, que nasceu para dar a necessária manutenção à Escola.

Daí, achamos muito importante falar desse Centro Evangélico, mas começar falando da Escola Evangélica Antônio Balbino, a primeira da Vila Poty, criada ainda no ano de 1955, um marco igualmente muito importante do início da educação escolar no grande povoado que pertencia ao município de Glória/BA.

A Escola Evangélica Antônio Balbino

Quando a Chesf se instalou na região, em 1948, construiu várias unidades de ensino primário – as Escolas Adozindo Magalhães de Oliveira (1949), Murilo Braga e Alves de Sousa (1952) e também o Ginásio Paulo Afonso (1951) e ali recebia como alunos apenas os filhos de empregados da empresa Chesf, assim como os filhos dos militares e de alguns comerciantes e empresários do município.

A grande população da Vila Poty, sempre crescendo e o povoado, mesmo passando a Distrito de Paulo Afonso (em dezembro de 1953) do município de Paulo Afonso não possuía nenhuma unidade escolar e centenas, milhares de crianças não tinham acesso à escola.

Professor Gilberto Gomes de Oliveira e Pastor João Cartonilho

O Sr. Gilberto Gomes de Oliveira, trabalhava nos escritórios da Chesf e almoçava sempre no Restaurante da Chesf, bem próximo e ali fez amizade com o Pastor João Cartonilho que era o mordomo desse restaurante que chegava a fornecer 3 mil refeições por dia para os operários que construíam a primeira Usina de Paulo Afonso.

Dessa amizade nasceu a ideia de se fazer uma escola na Vila Poty para atender a pelo menos parte das crianças que ali viviam sem direito à escola. E assim nasceu a Escola Evangélica Antônio Balbino. (Antônio Balbino de Carvalho era o governador da Bahia).

Nas minhas pesquisas para falar sobre este assunto, em artigos do Jornal Folha Sertaneja, em palestras e em livros, consegui me informar que para dedicar-se a essa escola, a Professora Wilma Eugênia de Oliveira, esposa do Sr. Gilberto Oliveira chegou a recusar um emprego na Chesf, que era o que todo mundo queria.

Para ajudá-la nessa difícil missão no povoado Forquilha/Vila Poty onde faltava tudo, D. Wlima contou com o apoio da Professora Lindinalva Cabral dos Santos, amiga da família, que assumiu a direção da escola em seu primeiro ano e da também muito amiga, professora Adeilda Xavier.

Lindinalva Cabral ficou como diretora no primeiro ano e no ano seguinte essa função foi ocupada pelo Pastos Onésimo Nascimento, da 1ª Igreja Batista de Paulo Afonso.

Professor Gilberto Gomes de Oliveira e Vilma Eugênia de Oliveira

Escola Evangélica Antônio Balbino em 1957. A partir da esquerda: Professora Adeilda Xavier, Pastor Onésimo Nascimento, Vereador Abel Barbosa e Silva, Presidente da Chesf, Antônio José Alves de Souza e, à direita, Pastor João Cartonilho.

A Escola Evangélica Antônio Balbino cresceu vertiginosamente e logo já estava funcionando em três lugares, um deles cedido pela Chesf, através do seu presidente Antônio José Alves de Souza.

Tão grande foi o crescimento desta escola, que chegou a ter mais de 500 alunos que ficou impossível mantê-la apenas com as poucas colaborações recebidas.

O Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso – CERSPA - A ATA de sua criação.

Foto da criação do CERSPA – Iracema Biasi, Jesuíno Oliveira, João Batista Tenório, José Francisco Andrade, Pastor Onésimo Nascimento, Gilberto Oliveira, Professora Iolanda, Pastor Francisco Patrício, Pastor Dioclécio Pereira (de costas, ao centro) e Pastor Moisés Peixoto de Moura (escrevendo a Ata de criação do CERSPA)


Em 18 de novembro de 1977, Antônio Almeida, Escrivão do Cartório de Registro de Imóveis, Títulos e Documentos da Comarca de Paulo Afonso, certifica que “revendo o Livro de Registro de Títulos e Documentos, nele consta às fls, 57 e v., sob o Nº 37, o registro do teor seguinte: aos 04 de agosto do ano de 1958, às 10 horas, me foi apresentada pelo Sr. Onésimo Nascimento a ata que deu início à reunião de organização do Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso, que é do teor seguinte: aos 13 dias de abril de 1958, às 15,25 hs. na Escola Evangélica Antônio Balbino, à Av. Getúlio Vargas, sob a presidência do Pastor Onésimo do Nascimento, teve início a reunião para a organização do Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso.


Na Ata consta que a reunião foi iniciada com uma Devocional, com o canto do Hino Nº 469 do Cantor Cristão e logo em seguida foi feita a leitura bíblica do Cap. 10, versículos 25 a 27, sobre a parábola do bom samaritano, rapidamente explicada pelo Pastor Onésimo e um momento de oração pelo Pastor Francisco Patrício, da Igreja de Cristo Pentecostal.


Foram então apresentadas as autoridades presentes: os vereadores Abel Barbosa e Silva e Otaviano Leandro de Morais, o Juiz de Paz, José Freire e o jornalista José Rudival de Menezes.


O presidente da reunião, Pastor Onésimo Nascimento, justifica a razão da necessidade da criação do Centro Evangélico: “que no espírito cristão e caritativo atenderá aos menos favorecidos, vivendo em completo abandono, abrigados debaixo de pontes, sem lar, sem pão, dependendo de quantos lhes estendam a mão, a fazer-lhes uma caridade".


O Sr. José Freire, faz uso da palavra e fala sobre Delinquência Infantil hipotecando solidariedade pela criação deste Centro Evangélico.


Lê-se os Estatutos e a lista dos sócios fundadores do CERSPA, num total de sessenta e três (63) e é eleita então a primeira diretoria deste Centro Evangélica que fica assim formada:

Diretor Administrativo – Pastor Onésimo do Nascimento (1ª Igreja Batista de Paulo Afonso)

Secretário – Gilberto Gomes de Oliveira

Tesoureiro – José Francisco de Andrade

Vogais – Jesuíno Oliveira e D. Iracema Biasi do Nascimento

Para o Conselho Fiscal são nomeados – Pedro Patrício, Pedro Barbosa e Iolanda Freire, sendo suplentes: João Batista, Pastor Moisés Peixoto de Moura (Igreja Presbiteriana de Paulo Afonso) e Severino Araújo Pereira.

Coube ao Sr. João Cartonilho dar posse à diretoria eleita.

Foi secretário Ad-hoc para escrever esta ata o Pastor Moisés Peixoto de Moura, da Igreja Presbiteriana de Paulo Afonso.

Nasceu assim o Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso – CERSPA, criado em 13 de abril de 1958, três meses e meio antes da emancipação política de Paulo Afonso, que aconteceu em 28 de julho daquele ano de 1958.

Do CERSPA participavam inicialmente várias igrejas evangélicas e, através dessa instituição poder-se-ia buscar recursos estaduais e federais para a sua manutenção.

O CERSPA foi, assim, a entidade mantenedora do Ginásio Sete de Setembro, criado em 1964, elevado a Colégio em 1970 e a Faculdade Sete de Setembro, criada também no mês de abril (dia 1º) de 2002, transformando-se no Centro Universitário do Rio São Francisco – UNIRIOS a partir do ano de 2019.


Por meio do Espaço Social o CERSPA atendeu milhares de famílias através de projetos educacionais, de formação profissional, musical e entre outras iniciativas, como o programa de bolsas de estudo que atende até os dias de hoje dezenas de crianças e adolescentes.


No ano de 2021, quando o CERSPA completou 63 anos, a Câmara Municipal de Paulo Afonso concedeu Moção de Aplausos a este Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso – homenagem proposta pela vereadora Evinha Oliveira (SD) e aprovada por unanimidade pela CMPA. A comenda foi entregue ao presidente do CERSPA, Professor Gilberto Sérgio Oliveira.

Vereadora Evinha Oliveira entrega Moção de Aplausos ao Professor Sérgio Oliveira, pelos 63 anos do CERSPA, na presença de Gislaine, Secretária do CERSPA e o olhar atento do Professor Gilberto Oliveira.


O comprometimento com a questão social que se tornou uma marca dos empreendimentos que sugiram da semente do CERSPA, o Colégio Sete e o UNIRIOS, são motivo de orgulho dos que continuam essa magnífica obra iniciada há mais de seis década, levando a educação naqueles tempos mais difíceis, para grande número de crianças, gesto que continua sendo a inspiração agora e na posteridade.

Professor Jacson Oliveira, diretor educacional do Colégio Sete de Setembro


“É salutar o papel da história do CERSPA por meio de suas ações educacionais para Paulo Afonso, uma trajetória escrita por várias pessoas que colaboraram com este projeto, e assim, de certa forma, ajudaram a mudar a realidade daqueles que foram atendidos. Inspiração que segue nos dias de hoje permitindo a várias crianças e jovens estudar por meio de bolsas no Colégio Sete”, destacou Jacson Oliveira, diretor educacional do Colégio Sete de Setembro e filho do professor Gilberto, fundador do Grupo Educacional.

Ao falar nesses 64 anos de história de sucesso do Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso, o CERSPA somos imediatamente levados ao Professor Gilberto Gomes de Oliveira, de saudosa memória, o iniciador desse vitorioso projeto de educação em Paulo Afonso e que já se espalha pelo Brasil nos muitos cursos e polos de EAD.

No livro Professor Gilberto – Realizador de Sonhos, de autoria de Joranaide Alves Ramos (Ed. J. Andrade, 2012), os muitos depoimentos de antigos companheiros de trabalho, na Chesf, na Escola Antônio Balbino, no Centro Evangélico, no Ginásio e Colégio Sete de Setembro, da Fasete, dos amigos que fez nessa longa caminhada e seus familiares poderiam ser resumidos em poucas palavras.

O pioneirismo do professor Gilberto Gomes de Oliveira fez história e, ao longo de mais de seis décadas, através da educação, tem mudado a história das vidas de milhares de pessoas.


Antônio Galdino da Silva

Com informações do Dep. Comunicação/Col. Sete, livros Professor Gilberto, Realizador de Sonhos (Joranaide Ramos), Caminhos da Educação – De Forquilha a Paulo Afonso (Antônio Galdino da Silva) e publicações do Jornal Folha Sertaneja (várias  edições).




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

4 comentários


Angela Maria Oliveira

14/04/2022 - 19:27:34

Muito bom essa homenagem ao Sr. Gilberto, filhas e sobrinhas do irmão dele, Nestor Gomes de Oliveira também entraram para área da educação no estado de são Paulo. Muiito bom vendo a família do meu marido em uma área tão importante para o futuro de nosso país


Francisco Nery da Silva Júnior

14/04/2022 - 16:04:40

Dar o testemunho, de público, do oferecimento de apoio por parte do seu Gilberto, absolutamente espontâneo, quando julgou que eu poderia estar precisando desse apoio. Assim me lembro de um verdadeiro cristão, pioneiro e visionário. Como agente da Fachesf, ele nos atendia com a mais precisa competência. O seu legado, banhado de humildade, torna possível o desenvolvimento dos estudantes de Paulo Afonso. Desejamos sucesso e crescimento à organização que legou aos seus descendentes. E louvar a Folha por propagar a visão do pessoal citado na matéria. O Sete de hoje é consequência da visão daqueles pioneiros. Deus abençoe os seus descendentes.


Ivone Vilela Hara

14/04/2022 - 15:15:33

Parabéns pela reportagem que conta a fundação e trajetória do Colégio Sete de Setembro. Tenho muito orgulho de ser sobrinha do professor Gilberto de Oliveira e mais ainda de ter conhecido a cidade de Paulo Afonso e o Colégio Sete de Setembro.


edson@seg.com.br

14/04/2022 - 14:58:31

Excelente reportagem! Evidenciar a importância desses pioneiro no ensino em PAF é uma homenagem mais que merecida.Fui aluno tbm da Escola Antônio Balbino.Morei em PAF de 1953 a 1956 e de 1958 a 1967.


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2022 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12