Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
Educação & Cultura

Academia de Letras de Paulo Afonso – ALPA - empossa novos membros em solenidade transmitida online em clima de emoção.

Publicada em 26/06/21 às 13:09h - 524visualizações

por Antônio Galdino


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: Divulgação)

Aprovados pelos membros da ALPA desde 29 de fevereiro de 2020, foram empossados na tarde desta sexta-feira, 25 de junho, como imortais, por força de expressão literária, os novos membros da Academia de Letras de Paulo Afonso, o Advogado Isac de Oliveira, o Professor Doutor Jacques Fernandes e a Professora Mestra e Piscóloga Lúcia Teixeira.

A demora das posses desses acadêmicos na ALPA se deve, principalmente, aos problemas da pandemia do Coronavírus, pois era desejo da ALPA que se pudesse fazer um evento como os anteriores, aberto ao público, o que foi impossível, pelas razões conhecidas de todos.

Cada um destes novos membros da ALPA tem trabalhos de reconhecido valor científico, cultural e literário já desenvolvidos, textos literários em prosa ou poesia e livros já publicados e certamente contribuirão para o crescimento da Academia de Letras de Paulo Afonso, com trabalhos para a preservação da história, da memória e da cultura literária de Paulo Afonso e na permanente luta em defesa do rio São Francisco, bandeiras da ALPA desde a sua fundação em 20 de novembro de 2005, como afirmaram em suas falas, após empossados.

Isac de Oliveira tem uma vida de intenso trabalho na área da advocacia em Paulo Afonso onde atua há muitos anos. Ele nasceu em Altinho/PE, terra de Apolônio Sales, o criador da Chesf, mora em Paulo Afonso há 29 anos e assegura o desejo de contribuir para o crescimento da ALPA e de lutar pelo maior reconhecimento e valorização da cultura literária neste município.

Isac de Oliveira assume a cadeira Nº 38 que tem como patrono o escritor maranhense Aluísio Azevedo (1857-1913), cujo romance "O Mulato" iniciou o Movimento Naturalista no Brasil, tendo sido também caricaturista, cronista, jornalista e diplomata e membro fundador da Academia Brasileira de Letras, patrono da cadeira nº. 4.

Isac de Oliveira recebeu de Maciel Teixeira, diretor 2º secretário da ALPA, o Diploma, a estola e os livros publicados pela ALPA e o apresentou à sociedade em rápido discurso em nome desta Academia de Letras de Paulo Afonso.

Isac de Oliveira também foi cumprimentado pela vice-presidente da ALPA, Gorette Moreira, que indicou o seu nome para a ALPA, tendo sido aprovado por unanimidade pelos membros presentes à reunião do dia 29 de fevereiro de 2020.

Em sua mensagem, visivelmente emocionado, Isac de Oliveira disse da “alegria de fazer parte deste seleto grupo de intelectuais, escritores, poetas, historiadores que só querem o bem da nossa Paulo Afonso e desenvolver ações de valorização da nossa cultura literária que é muito rica. Chego à ALPA para somar com todos os seus membros nessa luta em defesa da literatura, da história e da memória de Paulo Afonso, que dela me fez Cidadão, o que também muito me honrou. Tenho esses dois marcos importantes na minha vida, duas grandes emoções: ser aceito, por iniciativa da Câmara Municipal de Paulo Afonso como Cidadão de Paulo Afonso e agora, ser acolhido pela Academia de Letras de Paulo Afonso como mais um dos seus membros. Muito obrigado pelo carinho de todos.”

O Professor Jacques Fernandes, que agora concluiu o seu Doutorado, embora ainda muito jovem, é pauloafonsino, que se orgulha de ser filho de “cassaco” da Chesf e tem uma brilhante história de vida e de superação. Em seu emocionado discurso, que comoveu a todos, falou de sua trajetória de “menino que, aos 9 anos pegava frete na feira e o Professor Gilberto Oliveira me acolheu com bolsa de estudos no Colégio Sete de Setembro, o que me permitiu uma vida intensa de aprendizado que me fez chegar à Universidade, ser professor e coordenador de cursos na FASETE, hoje UNIRIOS e vir a concluir um Doutorado em Educação, o que nunca pensei que isso viesse a acontecer”. Disse o novo imortal da ALPA.

Ao narrar a sua história de menino que aos 9 anos pegava frete na feira para ajudar à família, Jacques Fernandes emocionou a todos e, de forma ainda mais especial ao seu colega professor, empresário e também imortal da ALPA, Maciel Teixeira, que começou a sua vida também assim, pegando frete na feira de Paulo Afonso, como narra em seu livro “O Matuto Empreendedor”.

Jacques Fernandes recebeu o Diploma, a estola e os livros da ALPA das mãos do Professor Luiz José, 2º tesoureiro da ALPA e seu colega durante muitos anos na FASETE.

Jacques Fernandes Santos vai ocupar na ALPA a cadeira Nº 39 que tem como patrono o poeta maranhense Ferreira Gullar que é o pseudônimo de José Ribamar Ferreira, que foi um escritor, poeta, crítico de arte, biógrafo, tradutor, memorialista e ensaísta brasileiro e um dos fundadores do neoconcretismo.

A Professora Lúcia Teixeira, Psicóloga, com Mestrado e grandes trabalhos prestados à Universidade e à educação de jovens em escolas de Paulo Afonso tem os seus primeiros tempos de vida em Paulo Afonso associados ao nascimento do teatro de rua, tendo dirigido durante mais de 15 anos o Grupo Curicaca, que inspirou o surgimento de outros grupos e de muitos artistas populares. Tem também importantes estudos sobre as barragens do rio São Francisco.

Para ela “fazer parte desta Academia de Letras de Paulo Afonso, de que também já faz parte o meu irmão Gilmar Teixeira, um dos seus fundadores, é uma grande honra e grande alegria para mim, uma amante das artes. Tenho trabalhos acadêmicos que mostram a minha preocupação e cuidado com esta região, com o nosso rio São Francisco e quero, nesta Academia de Letras, somar com todos estes nossos queridos amigos, alguns deles meus ex-alunos, nessa caminhada para a permanente valorização da arte literária, da história e da memória dessa nossa tão rica região caatingueira. Esse momento traz, pela sua seriedade, esta carga imensa de emoção que envolve a todos nós. Muito obrigado por me aceitarem nesse grupo para que eu possa caminhar com vocês nesse propósito”.

A nova imortal da ALPA recebeu o seu Diploma, estola e livros da ALPA das mãos da diretora tesoureira da ALPA, Socorro Araújo, a poetisa e escritora Marajana Araújo que foi aluna de Lúcia Teixeira na UNEB.

Maria Lúcia Teixeira Santos ocupa a cadeira Nº 16 da ALPA, que tem como patrono o poeta baiano Gregório de Matos Guerra e, substitui, nesta cadeira, o poeta Fernando Lucas Pessoa Mota, que faleceu em Julho de 2020.

A Academia de Letras de Paulo Afonso viveu um lindo dia neste 25 de junho quando, num clima de agradecimento, reconhecimento de valores, comprometimento com a causa do apoio à arte literária, poesia, música e muita emoção recebeu no seu quadro os novos imortais Isac de Oliveira, Jacques Fernandes e Lúcia Teixeira.

Todos que se fizeram presentes puderam dizer da sua alegria. O professor Fernando disse da importância da ALPA. Jovelina cantou em homenagem aos novos acadêmicos e em especial a Lúcia Teixeira. 

Jotalunas enterneceu a todos com sua criação poética sobre esse momento em que vivemos, ao declamar o poema Caixa Preta da Alma e nos levou a levantar a bandeira de um grande projeto cultural que ele criou, “A Mala do Poeta”, que pretendemos buscar apoios para retomá-lo tão logo nos permita a pandemia. Veja o poema de Jotalunas.


CAIXA PRETA DA ALMA

Jotalunas.

Passada esta agonia

E tudo chegar ao fim

Vou juntar os pedaços de mim

Que sobrar no dito dia


E nesta reconstrução

De tudo que foi juntado

Espero que tenha sobrado

Principalmente o coração


Caixa preta da alma

Que se agita e se acalma

Na alegria e na dor,


Que fique fora a maldade

Venha sobrando a bondade

E o peito transbordando de amor!

Gorette Moreira, Luiz José, Socorro Araújo e o presidente lembraram e fizeram uma homenagem sentida ao jovem Edson, colega atuante nos áureos tempos do Modernismo e responsável pelo som das bandas como a de Helinho Remígio e que, vítima do Covid, nos deixou esta semana.

Coube ao colega Edson Mendes dizer, de forma brilhante, “o motivo de estarmos juntos nesta Academia de Letras de Paulo Afonso, o que nos faz imortais, por força de expressão literária. Nós não somos imortais. Imortais são as ações que deixamos na nossa caminhada, os nossos escritos, o nosso comprometimento, o respeito ao outro, as nossas obras. Estamos juntos, pelo companheirismo, pela alegria de encontrar no outro esse parceiro de caminhada. A Academia é plural. Ela só existe pela união, pela contribuição de todos, pelo olhar de todos na mesma direção, mesmo tendo, cada um, a liberdade de ser o que quiser ser. Indivíduos, sozinhos, não somos a ALPA. A ALPA é isso que se vê aqui. Emoção, sentimento, compartilhamento, acolhida do outro. É por isso que cada um de nós está aqui. Que estes nossos três novos amigos se acheguem, se juntem a nós com esse propósito. De caminharmos juntos, de sermos, de verdade, a ALPA.”

A reunião foi conduzida pelo presidente da ALPA, Professor Antônio Galdino da Silva que agradeceu, em nome da diretoria da ALPA, a Nilton Alcântara, conhecido como Negrito, responsável pelo site www.seliganamusica.com, pelo apoio técnico para a apresentação desta LIVE e pela manutenção do site da ALPA www.letrassertanejas,org.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

2 comentários


Eliane

26/06/2021 - 16:48:17

Agradecemos de coração essa linda homenagem ao meu cunhado Edson, infelizmente vítima do covid-19. Muito obrigada, ALPA!Jesus abençoe vocês. Eu e toda família desejamos sucesso.


Anderson

26/06/2021 - 15:59:42

Obrigado em nome de toda a nossa família para com todos vocês grande Academia ALPA, por essa homenagem ao meu cunhado Edson que foi cometido por essa terrível doença covid 19.


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2021 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12