Segunda-feira, 18 de Janeiro de 2021
Educação & Cultura

Academia de Letras de Paulo Afonso - ALPA - completa 15 anos

Vida Cultural Literária, História e Memória de Paulo Afonso

Publicada em 20/11/20 às 18:34h - 427 visualizações

por Antônio Galdino


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: Arq. do jornal Folha Sertaneja e da ALPA)


A Academia de Letras de Paulo Afonso foi fundada em 20 de Novembro de 2005 com as seguintes finalidades:

I – Cultivar e incentivar o hábito da leitura e o interesse pelo idioma nacional e pelas literaturas estadual e nacional;

II – Realizar estudos dos problemas de interesse cultural que preocupam o meio intelectual local e o mundo contemporâneo;

III – Buscar o congraçamento e a maior aproximação entre os representantes da cultura local, regional, estadual e nacional:

IV – Valorizar e preservar a história e a memória da região amparando as manifestações da mesma natureza, inclusive nas áreas das ciências, das artes e da Geografia.

V – Contribuir para a propagação da arte literária na região da cidade de Paulo Afonso através de seminários, palestras, eventos culturais literários, simpósios e lançamentos de obras literárias.

Ela nasceu por uma iniciativa dos professores Francisco Araújo Filho, Sandro José Gomes e José Fernando da Silva que decidiram organizar uma instituição literária com esses propósitos e, para tanto, “mantiveram contatos com o então presidente da Academia de Letras da Bahia, Edivaldo Boaventura, com o presidente da Academia de Letras do Brasil (não a academia fundada por Machado de Assis, aquela é Academia Brasileira de Letras) e a Confederação das Academias de Letras do Brasil e, a partir das orientações deles recebidas foram traçados os propósitos e caminhos da Academia de Letras de Paulo Afonso.” Diz o professor Francisco Araújo Filho, o primeiro presidente desta Academia de Letras.

Definido o seu rumo, os idealizadores desse projeto convidaram pessoas do município com trabalhos literários, acadêmicos e científicos já apresentados e outros nomes de significativo valor para a comunidade pauloafonsina, num total inicial de 15 pessoas e eles se constituíram no grupo de fundadores desta Academia.

A sua primeira diretoria foi assim formada:

Presidente: Francisco Araújo Filho (Cadeira 01)

Vice-presidente: Sandro José Gomes (Cadeira Nº 02)

Secretário Geral: José Fernando Silva (Cadeira Nº 03).

Outros membros da diretoria: Elisângela Alves da Silva (Secretária), Elza Araújo Reis (1ª Tesoureira) e Rute Barbosa de Oliveira (2ª Tesoureira).

Estes 15 membros fundadores da ALPA foram empossados em solenidade realizada no dia 21 de Outubro de 2006, no Auditório do Memorial Chesf Paulo Afonso, constituindo-se, nas palavras do seu fundador e primeiro presidente, Professor Francisco Araújo Filho, “na congregação de escritores pauloafonsinos”.

Dos membros fundadores, estavam ausentes os membros honorários, Lúcia Cordeiro (9) e Abel Barbosa (11), por motivo de saúde. Lúcia Cordeiro faleceu no dia 26 de outubro daquele ano. Abel Barbosa faleceu no dia 26 de abril de 2018.

Membros fundadores e suas cadeiras, na foto acima: Antônio Galdino (14), Juraci Marques (13), João de Sousa Lima(6), Francisco Araújo(1), Roberto Ricardo(7), Edson Barreto(4), Gilmar Teixeira (8), Sandro Gomes (3), José Fernando(2). Sentadas: Glória Lira(15), Jovelina Ramalho(12), Socorro Araújo(4) e Socorro de Mendonça(10).

No ano de 2016, a Prefeitura de Paulo Afonso, na gestão do prefeito Anilton Bastos Pereira, acatando sugestões de membros da ALPA como os professores Antônio Galdino, Roberto Ricardo (que era também presidente do IGH) José Fernando, Francisco Araújo, reformou o antigo prédio onde funcionou a Câmara Municipal de Paulo Afonso e a Escola de Artes César Rios, transformando-o na Casa da Cultura de Paulo Afonso e ali abrigar a Academia de Letras, o Instituto Geográfico e Histórico e Arquivo Digital de Paulo Afonso, em pequenas salas de 2 x 3 metros.

Além de pequenas salas destinadas a estas instituições, o prédio dispõe de um pequeno auditório de uso comum da comunidade. O prédio foi reformado em inaugurado no dia 29 de abril de 2016.

Em 14 de setembro de 2017 foi eleita uma nova diretoria para a Academia de Letras de Paulo Afonso, assim formada:

Presidente – Antônio Galdino da Silva

Vice-presidente - João de Sousa Lima

Secretária Geral – Maria do Socorro Araújo Nascimento

2ª Secretária – Jovelina Maria Ramalho da Silva

1º Tesoureiro – Sandro José Gomes

2º Tesoureiro – Francisco Araújo Filho

A partir daí, a Diretoria da ALPA buscou apoios do Clube Paulo Afonso, da Administração da Chesf e Memorial Chesf e da Câmara Municipal de Paulo Afonso para realizar eventos que reúnem muitos participantes como palestras, seminários, a Bienal do Livro de Paulo Afonso, posses da diretoria, lançamentos de livros, comemorações como a do Dia do Escritor (25 de Julho) e homenagens a pessoas e instituições de Paulo Afonso e da região.

Agradecemos ao presidente do CPA, Francisco Araújo, ao Gestor da Administração da Chesf, Mário Jorge Cardoso de Oliveira e ao presidente da Câmara, Vereador Pedro Macário Neto pela acolhida.

A partir do final do ano de 2017 a Diretoria da ALPA decidiu ampliar o quadro de membros desta Academia abrindo vagas para membros efetivos, membros correspondentes e membros honorários, passando a Academia de Letras de Paulo Afonso a ter, atualmente 37 membros.

Dentro de seus objetivos, a ALPA encaminhou ao Prefeito Municipal de Paulo Afonso e à Câmara Municipal de Paulo Afonso propostas para a criação do Memorial Abel Barbosa, um espaço para a preservação da história e a memória do município e onde também seria a sede da Academia de Letras de Paulo Afonso.

Também encaminhou ao Prefeito e ao Presidente da Câmara uma proposta que sugere a substituição de nomes dados às ruas, praças, logradouros e outros espaços públicos, como as ruas de nomes de países ou cidades dadas a bairros como o Abel Barbosa ou a bairros da Chesf, que nada representam para a história de Paulo Afonso. A ALPA sugere que tais nomes sejam substituídos por pioneiros da Chesf, nas ruas da Chesf e por pioneiros, vereadores, comerciantes, moradores da antiga Vila Poty, às ruas de bairros da cidade.

No ano de 2018, a ALPA foi reconhecida como de Utilidade Pública Municipal pela Lei Municipal Nº 1.397/2018, sancionada pelo Prefeito Luiz de Deus em 12 de dezembro de 2018, após o Projeto de Lei ter sido aprovado por unanimidade pelos vereadores da Câmara Municipal de Paulo Afonso.

Em Julho de 2019 a ALPA lançou o seu primeiro livro chamado Revista da Academia de Letras de Paulo Afonso, reunindo artigos, crônicas, poemas. Esse Livro da ALPA será lançado todos os anos.

Em 23 de setembro de 2019, concluído o mandato da diretoria, a Assembleia Geral e soberana decidiu reconduzir o seu presidente para novo mandato e preencher cargos vagos com outros membros da ALPA, ficando a diretoria para o biênio 2019/2021, assim formada:

Presidente – Antônio Galdino da Silva

Vice-presidente – Maria Gorette Moreira

Secretária Geral – Jovelina Maria Ramalho da Silva

2º Secretário – Maciel Teixeira Lima

1ª Tesoureira – Maria do Socorro Araújo Nascimento

2º Tesoureiro – Luiz José da Silva

Eleita a nova diretoria da ALPA para ao biênio 2019/2021 a ALPA voltou a procurar a Prefeitura de Paulo Afonso e, através do vereador Jean Roubert, que também é membro da ALPA (Cadeira Nº 25),  foi agendada uma audiência da ALPA com o Prefeito Municipal de Paulo Afonso, Luiz Barbosa de Deus, realizada em 19 de agosto de 2020 e ali foi novamente apresentada a proposta de criação do Memorial Abel Barbosa para funcionar do prédio da primeira prefeitura de Paulo Afonso, conhecido como Espaço Cultural Raso da Catarina, na Avenida Landulfo Alves e a sugestão da ALPA ter também ali a sua sede.

A proposta, também defendida junto ao prefeito pelo Vereador Jean Roubert, foi aprovada pelo chefe do Executivo Municipal e, encaminhada como Projeto de Lei para a Câmara Municipal de Paulo Afonso foi ali aprovado por unanimidade na sessão do dia 5 de outubro de 2020, como o grande presente para a ALPA que, em 20 de novembro de 2020 completa 15 anos de vida.

Este Projeto de Lei foi sancionado e publicado no Diário Oficial do Município como Lei Municipal Nº 1.455/2020, de 27 de outubro de 2020. Por essa Lei, a ALPA também administrará o Memorial Abel Barbosa.

Esta diretoria e os membros da ALPA agradecem a sensibilidade do Prefeito Luiz Barbosa de Deus e de todos os vereadores da Câmara Municipal de Paulo Afonso.

Como escreveu o professor Francisco Nery Júnior, membro da ALPA (Cadeira Nº 18), no auge da sua empolgação, em puro latim, “habemus domuma ALPA ganha sua a sua casa”.

Ainda neste ano em que completa 15 anos de vida, a ALPA está lançando, com o apoio da Prefeitura de Paulo Afonso, três livros na cidade:

Revista da Academia de Letras de Paulo Afonso – Nº 2 – Ano 2020, o seu anuário;

- 1ª Antologia de Poetas de Paulo Afonso, promoção da ALPA no aniversário de 15 anos;

- Rio São Francisco em Prosa e Versos, que estava pronto desde o ano de 2017 e foi revisto e atualizado.

Tão logo nos deixe essa pandemia, que parou o mundo, a ALPA retornará aos seus projetos de palestras, seminários, eventos culturais, saraus literários e a promover a 4ª Bienal do Livro de Paulo Afonso e o 4º Encontro de Escritores da região do São Francisco que não puderam ser realizados neste ano de 2020, como programado.

Logo, no querer de Deus, retomaremos a nossa caminhada!

Antônio Galdino da Silva

Presidente da ALPA

20 de novembro de 2020





ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

2 comentários


Negritto

20/11/2020 - 23:55:29

Vida longa a AlPA


Marcos Antônio Lima

20/11/2020 - 20:21:28

Vida longa a ALPA. Que o Senhor nosso Deus continue abençoando a todos nós. 👏👏👏👏👏


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2021 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12