Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
Professor Nery

Reagrupamento das forças políticas em Paulo Afonso

Como será a oposição

Publicada em 29/10/20 às 11:43h - 485 visualizações

por Francisco Nery Júnior


Compartilhe
Compartilhar a notícia Reagrupamento das forças políticas em Paulo Afonso    Compartilhar a notícia Reagrupamento das forças políticas em Paulo Afonso    Compartilhar a notícia Reagrupamento das forças políticas em Paulo Afonso

Link da Notícia:

Reagrupamento das forças políticas em Paulo Afonso
 (Foto: Divulgação)


Está consolidada a adesão dos líderes do Partido Progressista ao grupo político liderado pelo prefeito Luiz de Deus. Ontem, 27 de outubro, a adesão do deputado Mário Júnior. Hoje 28, a do ex-prefeito Raimundo Caires que justificou a adesão reconhecendo a honradez do prefeito até aqui inatacável. Política é política e os arranhões menores vão se fechando com ações maiores. O dia seguinte só vale a pena quando há amadurecimento e contrição; exercício de humildade e ressarcimento de falhas e danos cometidos. Aí reside toda a nobreza. Ai jaz toda a honra segundo o poeta; honra em “representar bem a sua parte”.  


A vitória do novo grupo, ou do grupo ampliado, no pleito de 15 de novembro, aparece no gráfico de pesquisa como líquida e certa. Luiz tem 40,1% das intenções de voto, Mário Galinho 22,3% e Anilton Bastos 19,6%. A confiar nas declarações dos caciques [do novo grupo], a união visa ao desenvolvimento e ao bem-estar do povo de Paulo Afonso e veio para ficar. Todos fizeram juramento e votos de união estável e perene.  


Notável o crescimento da candidatura Mário Galinho. A sua classificação na pesquisa supera a do ex-prefeito Anilton Bastos em 2,7 pontos. O trabalho persistente do vereador Galinho certamente é o responsável pela classificação.  


As pessoas nas ruas - e pela ausência de comentários nos sites - se mostram surpresas e parecem anestesiadas, embora os sinais da simbiose já se mostrassem há algum tempo. Que pensar de dois bicudos que não se beijavam de repente “entre braços, abraços e beijos num romance astral” (Raul Seixas)?  


As lições a tirar são variadas. A caminhada do doutor Luiz não é de hoje. O mérito de montar Paulo Afonso é indiscutível dele. A cidade está cuidada e as escolas municipais não vão mal. As atribuições de industrialização, agricultura e saúde dependem muito mais das esferas estadual e federal. Num país atolado em dívidas (um bilhão de reais de juros por dia), a nossa expectativa de avanço é mínima. A nossa esperança é que o deputado, lá pelo Centrão, venha a ser o nosso questionador na esfera federal, além do direcionamento que tem dado às suas emendas parlamentares. (A título de curiosidade, a aplicação da emenda parlamentar na França é decidida por uma comissão do município que leva em consideração as carências e prioridades locais.) 


Fatos, acertos e conluios históricos limitam a estupefação a que nos referimos anteriormente. A união dos aliados na segunda Guerra Mundial com a União Soviética comunista de Joseph Stalin foi fator determinante para a vitória sobre a Alemanha de Adolf Hitler. A Inglaterra sobreviveu porque Hitler teve que desviar várias divisões nazistas para a invasão da Rússia. A resistência dos russos foi heroica e feroz. Resistiram com todas as suas forças e, com o auxílio do rigoroso inverno russo, aniquilaram as divisões invasoras nazistas. E Stalin abocanhou boa parte da Europa oriental após a vitória final.  


Voltando à pesquisa da Datasensus, verificamos que a classificação de Mário Galinho nos autoriza a considerar que ele se posiciona como o novo líder da oposição em Paulo Afonso. 


O equilíbrio das forças se estabilizando, Galinho está autorizado, em consequência do resultado das urnas, a liderar a oposição. Sem prepotência nem jactância, deve fazê-lo. Num sistema de pesos e contrapesos, a oposição é fundamental. Ser opositor a um sistema político ou a um ideário partidário é também servir ao povo. Apontar defeitos, imprecisões e excessos deve fazer parte da governança da cidade. E a oposição oficial para isso (ad hoc) deve fazê-lo.   


Então, para os líderes da nova composição que desponta, a lembrança, sem pretensão de pregação, que somos todos pó e ao pó voltaremos. Com a responsabilidade de comunicadores, faremos o papel do funcionário do Império Romano logo atrás no carro do conquistador no desfile da vitória, a lhe cochichar nos ouvidos: “Lembra-te que és pó e ao pó voltarás”.  


Francisco Nery Júnior  




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2022 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12
Converse conosco pelo Whatsapp!