noticias Seja bem vindo ao nosso site Jornal Folha Sertaneja Online!

Professor Galdino

“Um dia, a gente chega. No outro, vai embora”... Donato Pereira chegou, fez história, foi embora...

Publicada em 26/02/24 às 23:20h - 627 visualizações

Antônio Galdino


Compartilhe
Compartilhar a noticia “Um dia, a gente chega. No outro, vai embora”... Donato Pereira chegou, fez história, foi embora...  Compartilhar a noticia “Um dia, a gente chega. No outro, vai embora”... Donato Pereira chegou, fez história, foi embora...  Compartilhar a noticia “Um dia, a gente chega. No outro, vai embora”... Donato Pereira chegou, fez história, foi embora...

Link da Notícia:

“Um dia, a gente chega. No outro, vai embora”... Donato Pereira chegou, fez história, foi embora...
 (Foto: Das redes sociais)

As redes sociais anunciaram a viagem para o Oriente Eterno do Sr. Donato Pereira de Souza, conhecido como Donato da Loja Marly. 

"Ele faleceu no sábado, dia 24 de fevereiro. O velório foi realizado na Capela 2 do Cemitério Colina da Saudade, em Aracaju onde também foi realizado o seu sepultamento."

Ao criarem a canção Tocando em Frente, muito utilizada em estudos de grupos, nas empresas, pelas suas muitas mensagens tocantes, os poetas Almir Sater e Renato Teixeira, nos levam a refletir sobre a finitude das coisas, do tempo que passa, dos amigos que não vemos mais, do amanhã que, de repente chega e já é hoje e rapidamente passa e se foi...

Em um dia abraçamos, compartilhamos alegrias, exultamos pela vitória alcançada com a aprovação daquele projeto com o qual já nem esperávamos mais... No outro...

A vida é mesmo apenas um sopro...

Ausentei-me desse território onde os meus pés criaram raízes há 70 anos, por apenas alguns poucos dias, uma semana, para cuidar da saúde já mais fragilizada pelos muitos janeiros vividos. E ali onde estava comecei a receber notícias da partida de pessoas com quem tantas vezes encontramos pelos caminhos da vida... e me lembrei dos versos da canção: um dia a gente chega e no outro vai embora...

E não importa a idade que se tem. Com poucos anos ou já com muitas dezenas de anos, mais de cem, até, só temos a certeza que um dia se fará essa viagem de volta ao Eterno...

E embora saibamos todos dessa verdade infinita, quando chega o dia da partida daquele a quem amamos, a quem nos apegamos, há sempre um grande impacto em nosso corpo que reage de diferentes formas, baqueado, entristecido, suando frio, com muitas lágrimas. Tem sido assim ao longo dos séculos, dos milênios... um dia a gente chega e no outro vai embora...

De longe recebi esse impacto, o anúncio do falecimento do meu conterrâneo de Monteiro/PB, Donato Pereira de Souza, conhecido de muitos anos, empresário das Lojas Marly, na Av. Getúlio Vargas, o respeitado maçom da Loja União do São Francisco, Venerável Mestre de 08/06/1987 a 17/06/1989, homenageado na festa dos 50 anos desta Loja Maçônica e no livro que conta a História dos 50 anos desta Loja Maçônica de Paulo Afonso lançado, pelo também ex-venerável Antônio Bartolomeu Silva, em 2018.

Há anos que Donato mantinha sua empresa em Paulo Afonso mas morava em Aracaju onde também trabalhava no comércio e ali procurava alento para a cura de câncer de pulmão que o consumia e que o levou aos 80 anos de idade. Ali o seu corpo foi velado e sepultado. Ficou o vazio da saudade, da conivência com muitos pauloafonsinos, de sua alegria sertaneja.

Pelas redes sociais muitas mensagens de pesar, de tristeza pela sua partida. Em todas, a certeza de que a sua passagem por onde ele esteve deixou marcas indeléveis de seriedade, honestidade e de luta, determinação, legado perpétuo para os seus familiares e amigos.

“Mesmo que dias depois de sua viagem para o Oriente Eterno, em qualquer tempo, convém lembrar que por aqui passou um sertanejo, um paraibano, filho do Sr. Luiz Pereira e de D. Isaura Fonseca que acreditou nesse lugar em que muitos não acreditavam e honrou esta terra que o acolheu há dezenas de anos”, me diz um amigo ao lado.

De fato, Donato da Marly fez a sua parte. Porque “cada um de nós, compõe a sua história”. E Donato Pereira de Souza fez história.

Há dois momentos tristes nessa narrativa. O primeiro é a tristeza de se perder o convívio, especialmente dos familiares, dos mais próximos com o ser que se foi. A outra tristeza é ver que apenas nos momentos em que se perde alguém é que essas pessoas são vistas, valorizadas, homenageadas por tantos anos de vida e de doação...


Nesse momento de dor dos familiares, amigos, admiradores anônimos, resta buscar o conforto nas mensagens cristãs que asseguram como no Salmo 34:18 que nos fortalece: “O Senhor está perto dos que têm o coração quebrantado e salva os que têm o espírito abatido”.

 




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

3 comentários


Paulo Afonso

27/02/2024 - 15:23:14

Homem de Fé. Amigo dos amigos e conselheiro de todos. Amoroso com os familiares.


Wilton Torres

27/02/2024 - 12:25:21

Tive o privilégio de conhecer o Irmão Maçom Donato Pereira e dou o testemunho que era uma coluna forte da maçonaria e um dedicado paroquiano pois sempre o encontrava na Paróquia São Pedro e São Paulo aqui em Aracaju e via nele um católico fervoroso e preocupado com o Reino de Deus. Esse mesmo Deus que agora o acolhe e com absoluta certeza lhe dá uma morada eterna e de paz. Saudades !.Saudades !.Saudades !.


Romilda

27/02/2024 - 07:19:09

Donato será lembrado para sempre! muita dor na sua partida,mas o senhor o chamou.Homem do coração de ouro. Saudades eternas de sua cunhada 7


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2024 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12
Converse conosco pelo Whatsapp!