noticias Seja bem vindo ao nosso site Jornal Folha Sertaneja Online!

Professor Galdino

Algumas lembranças dos velhos carnavais de Paulo Afonso

- numa conversa com o Professor Claucius...

Publicada em 13/02/24 às 14:30h - 862 visualizações

Antônio Galdino - matéria atualizada em 14/02/2024 às 12:40, com a inclusão da foto e texto da Brotolândia


Compartilhe
Compartilhar a noticia Algumas lembranças dos velhos carnavais de Paulo Afonso  Compartilhar a noticia Algumas lembranças dos velhos carnavais de Paulo Afonso  Compartilhar a noticia Algumas lembranças dos velhos carnavais de Paulo Afonso

Link da Notícia:

Algumas lembranças dos velhos carnavais de Paulo Afonso
Fotos de As Boas-2024, enviadas por Claucios, pelo WhatsApp  (Foto: Arq. do jornal Folha Sertaneja e redes sociais)

Começo de tarde da terça-feira de carnaval de 2024, recebo do Professor Claucius algumas fotos do grupo AS BOAS, na casa de Ari, perto do COPA, numa paradinha, como sempre fizeram ainda nos tempos do velho amigo Ari, de saudosa memória.

E da conversa com o Professor Claucius fomos lembrando de alguns momentos dos carnavais de antigamente e mesmo sem nunca me envolver na folia, mas futucando no baú das memórias, fui lembrando de alguns momentos que vi ou que me contaram...

E a primeira coisa que me veio à memória foi a lembrança de um pioneiro chamado Horácio Campelo, também conhecido como Doquinha, funcionário do laboratório do Hospital da Chesf e sempre cheio de ideias e de novidades.

Era ele, por suas habilidades, que cuidava da ornamentação do Clube Paulo Afonso para os grandes bailes de carnaval que aconteciam ali. E Campelo, boa gente, muito querido por todos, gostava de bicar uma branquinha... e como gostava.

Há relatos de antigos que certa vez, depois de terminar a ornamentação do CPA, saiu do clube e, não se sabe como, acabou entrando em um ônibus pensando que era o ônibus da Chesf que transportava os chesfianos dentro do Acampamento da hidrelétrica. Não era. Era o ônibus que fazia a linha Paulo Afonso/Recife e o nosso grande Campelo foi acordado em Caruaru quando lhe pediram a passagem... Ficou na Subestação da Chesf em Caruaru de onde lhe trouxeram de volta para Paulo Afonso...

Campelo fazia peças de teatro para conseguir dinheiro para ajudar na construção da Igreja de São Francisco.

Horácio Campelo com o violão

E em desses carnavais, o animado Campelo decidiu organizar um bloco de carnaval e nasceu aí o primeiro bloco de travestidos de Paulo Afonso chamado Verdureiras de Bigode! Foi um sucesso pelas ruas empoeiradas da Vila Poty...

E os então alunos do Ginásio Paulo Afonso, como me informam aqui e até mandaram esta foto, também se organizavam para brincar o carnaval. Era o bloco Brotolândia na Folia nos anos de 1950 e quem me mandou a foto garante que aí estão, entre outros brotos, Dinalva, Dininha, Jacira...  E lembrei de Dinalva Simões Tourinho, filha do Sr. Enoch Pimentel Tourinho, que foi diretor do GPA e Dinalva foi candidata a Vereadora, eleita pela influência do pai e também foi eleita como a primeira presidente da Câmara Municipal de Paulo Afonso. Quem é das "antigas" pode conferir na foto acima...

Nos primeiros anos das obras da Chesf, os grandes carnavais eram nos clubes, CPA, COPA. Depois vieram o CREIA, OLÍMPICO. Mas, principalmente e historicamente era no CPA e no COPA que aconteciam os grandes bailes e Turpim Nóbrega, Expedito Aguiar organizavam grandes orquestras para essas temporadas, como narrou o saudoso Turpim em seu livro A Música e Eu, organizado por mim em 2007 e lançado no CPA. Não se pode falar em carnavais das antigas em Paulo Afonso, sem lembrar da Orquestra de Turpim e seus Elétricos. E também de outros grandes músicos como Lalau, Nelson Baterista e tantos outros que ele lembra neste seu livro.

Nos clubes havia os famosos desfiles de fantasias e ali sempre estavam desfilando Zé Freire, presidente quase eterno do COPA. Diniz, da Distribuidora Sedução (Rádios Cultura), vestido de super herói também estava sempre presente.

Zé Freire do COPA, também conhecido como Zé da Portaria porque trabalhava no controle da recepção da Administração da Chesf, contou que certa vez se fantasiou de Toureiro, no carnaval do CPA, e ficou dançando em frente a uma mesa em que a madame que ali estava, ao lado do marido, famoso engenheiro da Chesf, tinha a fama, embora a história corresse à boca pequena, como se dizia, de colocar um par de chifres no marido. E Zé Freire, vestido de toureiro, dançando em frente à sua mesa, fazendo gestos de chifres - e ele disse que foi sem o propósito de provação - e, de repente, quando ele menos esperava, tinham jogado um copo de cerveja nele...

Outra história que entrou na conversa foi o encerramento dos carnavais no COPA. Já era manhã da quarta-feira de cinzas, os sinos da Igreja de São Francisco já chamavam os fiéis para a tradicional Missa de Cinzas e o carnaval rolando no COPA.

 - “Ah, quarta-feira ingrata

Chega tão depressa,

Só pra contrariar...”

O povo numa euforia e a orquestra segurando a animação...

Os garçons, funcionários do COPA, todo mundo “pregado”, cansado e a folia rolando sem parar. O sol já alto e nada...

Então alguém, um certo tempo, teve a ideia de sugerir que a orquestra saísse do clube tocando e o povo acompanhando...

E não é que deu certo!

E como deu certo, nos carnavais seguintes virou tradição... Quarta-feira de cinzas, amanhecia, a orquestra se organizava e descia do palco, passava no meio do salão e continuava tocando e arrastando o povo até à frente da Igreja de São Francisco.

Bloco AS BOAS... faz um tempinho...

Na conversa via WhatsApp com Claucios, ele me diz, falando da década de 70, que não participou de As Boas mas era presença certa no Bloco Filhos da Pauta. Disse ele que alguns dissidentes dos Filhos da Pauta, saíram em um carro sem capota, com o nome FLORESBELA. 

"Lembro de Marly, irmã de Paulinho Piloto, sendo Porta Estandarte, do bloco AS BOAS e todos os irmãos faziam parte do grupo. Dr. Flávio, Paulinho e Raimundo. Também os irmãos Eloy e Dr. Zezinho. Oberdan e Miranda, Iratan, Neyme e Iranzinho...."

E Claucius conclui com esta informação...

“As BOAS, foram convidados pelo prefeito Davi, para se apresentar hoje a tarde em Glória. Inclusive, Edson das Casas RENNER, pai de Davi, foi um dos pioneiros do bloco!”

A conversa com Claucius e as fotos de AS BOAS, abriram a tranca do Baú de Memórias, de onde tirei essas lembranças e claro que não se pode deixar de lembrar que muitos dos jovens senhores dos primeiros tempos das BOAS, eram grandes atletas do futebol de Paulo Afonso e tinham fôlego para virar o dia e entravam pela noite na folia. E ainda viravam também a noite nos clubes.

Os anos passam para todos e hoje os animados foliões já dedicam um tempo bem menor para a caminhada do bloco. A cabeça continua de bom folião, pronto para se agitar ao som de Vassourinhas e muitos frevos pernambucanos, mas o corpo dos muitos fevereiros já não dispensa uma cadeira para se acomodar um pouco... e também ficar lembrando dos velhos carnavais... 




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

6 comentários


Capitão Paz

06/03/2024 - 18:42:22

Excelente matéria. Como sempre o bom jornalismo do Mestre Galdino resgatando é registrado um período muito alegre de nossa cidade.


Giuliana

14/02/2024 - 21:30:38

Eu e minha irmã geanine agente foi criada dentro do bloco das boas até hj agente adora os blocos das boas meu pai Ari in memória ele sempre dizia que era pra permanecer as boas.


Professor Galdino

14/02/2024 - 12:52:02

Meus amigos das "antigas" ficaram animados com essas histórias dos carnavais de Paulo Afonso a partir dos anos de 1950 e, no meio da noite me mandaram uma foto da Brotolândia na Folia, bloco formado por alunos do GPA e não resisti e coloquei breve texto e esta foto na matéria que já teve mais de 520 acessos em 20 horas no ar. Fica o teste para alguém reconhecer esses personagens do Bloco Brotolândia na Folia. Feito o desafio! Obrigado pela leitura e compartilhamento. Grande abraço. Professor Galdino.


Klaucius de Morais

13/02/2024 - 19:57:03

Não é por acaso que não me canso da minha admiração por essa BRILHANTE MEMÓRIA do meu querido ex professor e amigo, Galdino. Temos uma grande caminhada percorrida, inclusive, a apresentação da I Noite das Personalidades, no CREIA, com o objetivo de promover o Centro Cívico do Polivalente, onde a responsável era a Professora Noemi Caciquinho. Meus PARABÉNS POR VOCÊ EXISTIR em minha vida. Obrigado pela sua luz!!! Deus te abençoe e ilumine sempre. 7


Jocelina Campos

13/02/2024 - 16:23:19

Tio Gal sempre revivendo a nossa história,com detalhes tão precisos,que parece ter participado de toda essa folia carnavalesca.Mt obrigado tio Gal por vc existir em nosso meio,resgatando a nossa história com tanto amor e alegria👍🤝❤️


Nadja

13/02/2024 - 15:49:22

Incrível os detalhes que você traz para o leitor, com a paixão dd um folião!Adorei essa cronologia carnavalesca


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2024 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12
Converse conosco pelo Whatsapp!