Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
Professor Galdino

Flávio Pezão, de POP na Transamazônica, chega a Humaitá/AM. “Faltam só 200 quilômetros – De Humaitá a Lábrea/AM”

Publicada em 16/04/22 às 13:02h - 391 visualizações

por Antonio Galdino, com informações de Flávio Mendonça - Pezão - Atualizado em 16/04/2022 às 15:15 hs com a inclusão de vídeo.


Compartilhe
Compartilhar a notícia Flávio Pezão, de POP na Transamazônica, chega a Humaitá/AM. “Faltam só 200 quilômetros – De Humaitá a Lábrea/AM”  Compartilhar a notícia Flávio Pezão, de POP na Transamazônica, chega a Humaitá/AM. “Faltam só 200 quilômetros – De Humaitá a Lábrea/AM”  Compartilhar a notícia Flávio Pezão, de POP na Transamazônica, chega a Humaitá/AM. “Faltam só 200 quilômetros – De Humaitá a Lábrea/AM”

Link da Notícia:

Flávio Pezão, de POP na Transamazônica, chega a Humaitá/AM. “Faltam só 200 quilômetros – De Humaitá a Lábrea/AM”
 (Foto: Divulgação Flávio Mendonça - Pezão)

“Faltam só 200 quilômetros. De Humaitá a Lábrea/AM”!!!

A empolgação de Flávio Pezão, ao chegar a Humaitá, no Amazonas mostra a alegria e adrenalina do vencedor, quem está concluindo um sonho de motociclista, vencendo os seus medos e no limite do seu equipamento, no caso a Moto Honda POP110.

Flávio já tem grande experiência de ter vencido grandes distâncias, mas em motos bem potentes, de 800 e de 1000 cilindradas. O desafio aqui é fazer um trajeto com esse nível de dificuldade, pela tamanho da estrada e pelas suas condições de tráfego, em uma moto pequena, de poucas cilindradas.

Até agora, foram quinze dias vivendo as mais variadas situações. Depois de rodar mais de 4.500 quilômetros, desde a sua saída de Paulo Afonso e enfrentar mais de 1.500 quilômetros de estradas sem pavimentação, de muita lama e debaixo de muita chuva, Flávio Pezão chega a Humaitá, no Amazonas no começo da noite do dia 15 de abril de 2022.

Faltam apenas 200 quilômetros que separam Humaitá de Lábrea, o ponto final da BR-230, conhecida como Rodovia Transamazônica e, nesses 200 quilômetros, 165 deles ainda são de estradas de terra e de muita lama.

Os registros em fotos, vídeos e o que guarda a sua memória são material para um grande livro. Primeiro para mostrar a garra, a luta, a disposição que são o próprio estilo de vida dos motociclistas. Depois, a inédita experiência de fazer tão agressivo percurso em cima de uma moto popular, apenas de 110 cilindradas em condições tão adversas. E o relato das condições de vida das pessoas, muitas delas em lugares ermos. O seu modo de vida e de sobrevivência, nas cidades e nos povoamentos desordenados.

Diz Flávio que a pequena Moto POP 110 se mostrou pronta para missões como esta e que ele faria mais umas dez vezes esse mesmo percurso em cima de sua POP 110 que não lhe deu nenhum problema mecânico, mesmo trabalhando todo esse tempo no seu limite de peso e de velocidade.

Flávio havia pernoitado do dia 14 para o dia 15 de abril em uma comunidade que se chama Km180, numa referência à distância dali até Humaitá. Ali foi muito bem recebido pelos moradores que fizeram questão de pagar sua diária no hotel e ainda de oferecer um almoço bem especial.

Por isso, Flávio Pezão saiu desse povoamento do KM 180, às 11 horas da manhã do dia 15 de abril de 2.022.

Em todo esse trajeto dentro da floresta amazônica, o principal rio é o Tapajós, mas em vista de ser o período do inverno nessa região, são formados muitos igarapés, como grandes braços do rio com vários nomes e há a necessidade de se cruzar, em grandes balsas, em vários pontos.

Um desses muitos pontos é para se poder chegar a Humaitá. Para isso, o sistema das balsas funciona assim: quem vai para Humaitá tem balsas nos horários ímpares. Quem vem de Humaitá, as balsas saem dali nos horários pares, com a diferença de duas horas de uma saída para outra.

No caso de Flávio Pezão, que ia para Humaitá, os horários da balsa eram às 15, 17, 19 horas... Quem chegar depois de um desses horários terá que esperar duas horas até a próxima travessia. Flávio conseguiu chegar um pouco antes das 17 horas e embarcou nesse horário.

Ao chegar a Humaitá, Flávio viu que o que chamam de KM180, que seria a distância dali até Humaitá, é muito maior, passa de 200 quilômetros.

Mas ele afirma, que apesar das grandes dificuldades que uma empreitada dessas tem e que já são previstas pelos motociclistas, “hoje a viagem foi sensacional. Tive tempo de encontrar com as pessoas, de conversar com as pessoas, parar, fotografar. Era um trecho mais curto. As condições da estrada já tinham sido previstas e a alegria de vencer esses desafios faz parte do espírito dos motociclistas, é o seu estilo de vida.”

E, acrescenta, Flávio Mendonça, o Pezão:

"Quando saí de Paulo Afonso para uma aventura, uma expedição desse porte, não tinha ideia fechada de como seria a recepção das pessoas, de outros motociclistas em motos grandes, de caminhoneiros que vai-se encontrando na estrada, nem imaginava como seria o comportamento de uma moto popular, de poucas cilindradas enfrentando terrenos tão difíceis. Mas a grande e melhor alegria foi ver a boa recepção que tive em todos os lugares, de outros motociclistas, de empresários por onde passei, de pessoas simples dos lugarejos, povoações e cidades por onde passei. Todos faziam questão de posar junto da moto e fazer perguntas sobre a viagem..."

"Hoje, pernoito em Humaitá. Estou consciente que faltam apenas 200 quilômetros, dos quais 165 ainda de muita lama e de chuva na estrada. Mas estou chegando..."

De Cabedelo/PB até Humaitá/AM foram percorridos, 4.031km. na BR-230, a Transamazônica. Somados aos 570 quilômetros de Paulo Afonso/BA a Cabedelo/PB, Pezão já percorreu com sua Moto Honda POP110, o total de 5.001 quilômetros, considerando-se apenas as rodovias. A esse valor precisam ser acrescentados os trechos rodados dentro das cidades e povoações.

E, conclui Flávio Pezão:

"Quando fizer esse percurso de 200 quilômetros de Humaitá até Lábrea, o projeto De POP na Transamazônica estará concluído com pleno êxito, depois de percorrer todos os 4.233 quilômetros da BR-230, a Transamazônica, de POP-110. 

Depois, preciso voltar esses mesmos 200 quilômetros até Humaitá de onde vou seguir por outra BR, a 319, com destino a Porto Velho e continuar a viagem passando por Goiás, Brasília até retornar a Paulo Afonso/BA.

Ao final da expedição terei percorrido mais de 10.600 quilômetros pilotando, em viagem solo, essa moto Honda POP-110".

Veja o vídeo abaixo, editado por Negrito Alcântara do SELIGANAMÚSICA, a quem agradecemos.

 




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

9 comentários


Erica Kariny

17/04/2022 - 10:42:35

Nós estamos muito felizes com o sucesso desta linda aventura,você sabe como gostaria de ter ido também, mas sei que não irá faltar outras oportunuades.Deus pai todo poderoso está abençoando e cuidando de você. Parabéns meu amor, sua determinação e perseverança nos contagia. Que Deus te acompanhe no retorno a sua família.


Lúcia Nascimento

17/04/2022 - 00:25:12

Parabéns e muito sucesso na sua jornada, orgulho para nossa cidade, voa alto em sua Pop. Sonhar é realizar sempre com Deus no coração ❤!9rvz2n


F. Nery Jr.

16/04/2022 - 18:11:18

Sugestão para 2023: caravana da ALPA de moto de Cabedelo até Lábrea sob o comando do experiente Pezão. Para Cabedelo de van. A volta seria de avião. Voltaríamos vivos, claro!


Socorro Mendonça

16/04/2022 - 16:59:14

A atitude do meu filho Flávio Mendonça, me enche de orgulho. Este projeto desafiador elaborado por ele, a princípio me deixou apreensiva! Coisas de mãe!Amadurecemos a idéia e ele partiu...no comando e proteção Divina. Em nenhum momento mostrou-se inseguro, superou todos os desafios apresentados no decorrer do percusso com risos no rosto. Isto me tranquilizou. LÁBREA é o fim da BR 230 .... logo mais missão cumprida ! E um novo projeto entra em cena! UM LIVRO REGISTRANDO ESTA AVENTURA LINDA!


Marcos Antônio Lima

16/04/2022 - 16:13:27

Eita pauloafonsino arretado.


Nelson Sobreira

16/04/2022 - 15:48:00

Muito bom o projeto do Flávio.Peço a todos que se inveevam também no meu canal no YouTub: Nelson Sobreira -POESIA NO ASFALTO.


NEGRITTO

16/04/2022 - 15:18:17

Gratidão motociclista raiz, somos gratos por ir longe colocando nossa cidade na linha de conhecimento, que Jeová Deus abençoes essa estrada e vem na paz, garanto que aqui vamos está pronto com nosso intrude na recpção ! Avanteeeee o céu é o limiteee.!


Gatão

16/04/2022 - 13:43:16

Parabéns Flávio pela sua empreitada levando o nome de nossa cidade e principalmente o seu projeto de vida.Fico feliz por você e sua família, tenho certeza que a sua amiga Sheyla e de Karine está torcendo no céu para que o seu retorno seja na paz de Cristo, felicidades meu irmão.


Socorro Araújo

16/04/2022 - 13:37:24

Parabéns, Flávio, nada como ver um sonho realizado. O céu é o limite!


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2022 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12