Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
Professor Galdino

Flávio Pezão chega a Jacareacanga às 9 da noite do dia 12 de abril, rodando 400 km. em lamaçal, desde Itaituba, em sua POP 110

Publicada em 13/04/22 às 00:57h - 315 visualizações

por Antonio Galdino, com informações de Flávio Mendonça - Pezão


Compartilhe
Compartilhar a notícia Flávio Pezão chega a Jacareacanga às 9 da noite do dia 12 de abril, rodando 400 km. em lamaçal, desde Itaituba, em sua POP 110  Compartilhar a notícia Flávio Pezão chega a Jacareacanga às 9 da noite do dia 12 de abril, rodando 400 km. em lamaçal, desde Itaituba, em sua POP 110  Compartilhar a notícia Flávio Pezão chega a Jacareacanga às 9 da noite do dia 12 de abril, rodando 400 km. em lamaçal, desde Itaituba, em sua POP 110

Link da Notícia:

Flávio Pezão chega a Jacareacanga às 9 da noite do dia 12 de abril, rodando 400 km. em lamaçal, desde Itaituba, em sua POP 110
 (Foto: Divulgação Flávio Mendonça - Pezão e imagens da net.)

Na sua viagem, expedição batizada “De POP pela transamazônica”, iniciada na cidade de Paulo Afonso no dia 1º de abril, o motociclista Flávio Mendonça, o Flávio Pezão, presidente do Moto Clube Carcarás do Sertão, da cidade de Paulo Afonso/BA, fez, nesse dia 12 de abril um dos trechos mais difíceis rodando dentro da BR-230, a Rodovia Transamazônica, que se inicia na cidade de Cabedelo, na Paraíba.

Foi o trajeto de 395 quilômetros entre as cidades de Itaituba e Jacareacanga, ambas no Pará, estrada sem pavimentação, puro barro e lama e dentro da floresta amazônica, cruzando inclusive reservas indígenas e parques nacionais.


Nos 395 quilômetros rodados entre Itaituba e Jacareacanga, Flávio confirma que é um enorme trecho dentro da Floresta, como pequenos vilarejos sem nenhuma estrutura de apoio, hospedagem, sem postos de gasolina. E muita lama.

O ponto de apoio de maior referência é a comunidade conhecida como Amigos Garimpeiros, local que reúne grande número de garimpeiros à procura de ouro. Informaram eles que, vez por outra, o IBAMA, a Polícia Federal aparece, destrói seus acampamentos e máquinas.

Na região, é muito forte a prostituição, com meninas que vêm até de Jacareacanga, que fica a 220 quilômetros para fazer programas com os garimpeiros.

Todo o trajeto do dia 12 de abril, informa Flávio Pezão, foi feito próximo ao rio Tapajós que corre paralelo à BR-230 e também banha a cidade de Jacareacanga.

Na tempo do inverno na região Norte, como agora, é muito comum os rios alcançaram grandes volumes de água, arrastarem pontes que são de madeira, e formarem igarapés imensos, alguns deles interditando trechos da estrada. Igarapés como os que mostramos nestas fotos, junto à comunidade dos Amigos Garimpeiros.

Diz Flávio: Almocei nesse lugar e como os 180 quilômetros rodados de Itaituba até este local foram bem pesados, com muita lama e ainda faltavam 220 quilômetros em iguais condições ou piores, e também porque a moto estava com o bagageiro quebrado, cheguei a pensar em pernoitar nessa comunidade mas, quando terminei de almoçar, às duas horas da tarde, apareceu no nada um rapaz me perguntando se eu ia para Jacareacanga. Ele estava com a esposa na moto.

Eu respondi que ia mas como estava tarde e só ia dar para chegar à noite, eu só iria amanhã(13 de abril), cedinho.

Mas ele me disse: Rapaz, eu tenho que ir ainda hoje. Vamos comigo, prá eu não ir só. Umas seis e meia da noite a gente tá saindo da floresta.

Decidi então tocar a viagem. Uma estrada com muita lama, lisa, lisa, a estrada. Viemos chegar em Jacareacanga às 9 horas da noite. Mas vencemos esse difícil e longo trecho da BR-230.

Agora, é descansar e amanhã, a programação é mandar consertar o bagageiro da moto, fazer uma revisão geral.

Jacareacanga na História

Em Jacareacanga, que tem hoje uma população de pouco mais de 41 mil habitantes, lembra o Professor Francisco Nery que foi nessa cidade que “quando aconteceu a revolta de alguns oficiais da Aeronáutica no governo do presidente Juscelino, estes oficiais revoltosos se refugiaram”.

Entre Cabedelo/PB e Jacareacanga/PA foram percorridos, dentro da BR-230, exatos 3.373 quilômetros que, somados aos 570 quilômetros de Paulo Afonso a Cabedelo chegam aos 3.947 quilômetros.

De Jacareacanga/PA até Lábrea/AM, final da BR-230 são ainda 873 quilômetros, trecho que falta ser vencido pelo motociclista Flávio Pezão e sua POP 110 para fazer toda esta Rodovia Transamazônica.

As próximas cidades são Sucunduri, que fica a 165 km. de Jacareacanga, Apuí, a 272 km, Vila do Carmo, a 375km e Novo Aripuanã, a 392 km. de Jacareacanga. Depois vêm Humaitá/PA e Lábrea, 200 km à frente, já no Estado do Amazonas, com uma hora a menos no fuso horário, em relação a hora de Brasília.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

4 comentários


Socorro Mendonça

13/04/2022 - 16:34:50

Leitor, Flávio com certeza comentará sobre as carências e ou benefícios observados ao longo do percurso. SELVA !


Socorro Mendonça

13/04/2022 - 16:30:46

Agradeço à todos que com pensamentos positivos e rogos à Deus pela proteção do meu filho, têm nos ajudado a encotaja- lo neste sonhado desafio. Ainda temos uma longa jornada, mas nosso comandante e superior a TUDO e TODOS . DEUS!


Leitor

13/04/2022 - 09:32:17

O pessoal ao longo da Transamazônica acha que foi uma boa os militares term construído a estrada? O pezão vê alguma ajuda do governo ao pessoal nas pequenas vila e poovoados?


Manoel Rozendo Filho

13/04/2022 - 06:13:04

Nossos aplausos ao Pezão um herói e grande sacrifício na época da semana Santa que nosso bom Deus e seu filho Jesus o proteja a vencer seu trajeto sonhado .Paz e bem


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2022 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12