Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
Professor Galdino

Flávio Pezão, de POP na transamazônica. Um dente exigiu um pequeno repouso...

Publicada em 12/04/22 às 13:49h - 310 visualizações

por Antonio Galdino, com informações de Flávio Mendonça - Pezão


Compartilhe
Compartilhar a notícia Flávio Pezão, de POP na transamazônica. Um dente exigiu um pequeno repouso...  Compartilhar a notícia Flávio Pezão, de POP na transamazônica. Um dente exigiu um pequeno repouso...  Compartilhar a notícia Flávio Pezão, de POP na transamazônica. Um dente exigiu um pequeno repouso...

Link da Notícia:

Flávio Pezão, de POP na transamazônica. Um dente exigiu um pequeno repouso...
 (Foto: Divulgação Flávio Mendonça - Pezão)

Um breve resumo dessa história...

O motociclista Flávio Mendonça, conhecido no meio motociclístico como Flávio Pezão é experiente piloto de grandes motos de 800 e de 1000 cilindradas e já fez grandes viagens com elas.

Agora, aproveitando o período de férias do trabalho, durante o mês de abril, Flávio Pezão, que é o atual presidente do Moto Clube Carcará do Sertão, da cidade de Paulo Afonso/Bahia, teve a ousada ideia de se aventurar numa POP 110 e fazer com ela todo o trajeto da BR-230, conhecida como Rodovia Transamazônica.

A expedição começou em Paulo Afonso nas primeiras horas da manhã do dia 1º de abril, quando, acompanhado pelo irmão Kleber e pelo amigo Gian, do Moto Clube Carcará do Sertão, de Paulo Afonso/BA, tomou a estrada com destino a Gravatá/PE onde alguns amigos já o esperavam. 

Dali, seguiram todos juntos para o Recife, onde outros motociclistas também os esperava e seguiram todos juntos até Cabedelo, na Paraíba, onde começa a BR-230. Ali é o marco zero da Transamazônica que tem mais de 4.200 quilômetros de extensão.

O grupo saiu unido até Campina Grande, na Paraíba e ali todos se despediram e retornaram às suas cidades de origem e Fábio Pezão passou a fazer a viagem solo no projeto por ele batizado com o nome DE POP NA TRANSAMAZÔNICA, o que gerou um comentário de outro motociclista de Paulo Afonso: “Rapaz, esta é uma senhora aventura!”

Aos poucos a sua Honda POP 110 foi se mostrando guerreira e respondendo o que dela esperava o motociclista. E foram vencendo os territórios de Estados brasileiros.

Saindo da Bahia, Flávio Pezão e sua POP 110 cruzaram Alagoas, entraram em Pernambuco e chegaram à Paraíba. E foram seguindo estrada a fora pela BR-230. Chegaram ao Ceará, passaram pelo Piauí, Maranhão, cruzaram território do Tocantins e chegaram ao distante e grande território do Pará.

A partir daí uma mudança radical na estrada. Ao invés de enfrentar quilômetros de asfalto, o caminho agora, e por mais de 1.700 quilômetros à frente, era estrada de terra, grandes lamaçais.

A valente POP ganhou pneus para esse terreno e continuou se mostrando valente.

Até o dia 11 de abril, Flávio Pezão já rodou com sua POP 110, o total de 3.553 quilômetros, sendo 570 km. de Paulo Afonso/BA a Cabedelo/PB e 2.983 km, na BR-230, a Transamazônica, entre Cabedelo/Paraíba a Itaituba, no Pará.

E olha o que ainda tem de estrada para percorrer até estar de volta para sua terra sertaneja, Paulo Afonso, na Bahia.

Em todos os lugares por onde ia passando Pezão recebe o carinho das pessoas, a solidariedade, o apoio, o convite para um lanche, um almoço, um pernoite. Sempre muito afeto e curiosidade e grande espanto de alguns que talvez ficaram pensando: “Esse cara é maluco! Enfrentar esse mundão numa motinha dessas...!”

Em dois momentos da longa estrada um dente perturbou o motociclista. Num primeiro momento, foi muito bem assistido por uma odontólogaDra Paula Cássia que conseguiu aliviar as dores por um bom tempo.

Dra. Kathlin, em Itaituba/PA

Mas o tal do dente voltou a incomodar muitos quilômetros à frente e, de novo, Pezão, se viu aos cuidados de mais uma dentista, agora a Dra. Kathlin, em Itaituba/PA e ali viu que não tinha o que fazer a não ser extrair esse dente e deixá-lo enterrado nas terras paraenses...

Isso obrigou o guerreiro a um repouso forçado e, na segunda-feira, dia 11 de abril, Flávio Pezão, ficou repousando, exigência da doutora, na cidade de Itaituba no Pará, recuperando as energias para enfrentar os 400 quilômetros que separa esta cidade da cidade Jacareacanga, ainda no Pará, quase na divisa com o Estado do Amazonas.

Na tardinha do dia 11, uma rápida ida à Bicicletaria Roda Livre, do Fábio, para adquirir um pau-de-self e ganhou de presente um reparo rápido para remendo, se o pneu furar...

É essa sensibilidade, essa oferta de apoio que Flávio Pezão tem encontrado por onde passa.

O detalhe que enche de adrenalina o piloto da moto, é que em todo esse trajeto – quase a distância de Paulo Afonso a Salvador/BA – não há nenhuma outra cidade, nem postos de gasolina. Apenas vilas de garimpeiros, agrovilas e até a gasolina que precisar vai ter que comprar nas casas dessas vilas...

Daí a exclamação de Flávio Pezão:

A aventura agora começou a ficar do tipo Indiana Jones...(risos)”




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

5 comentários


Socorro Mendonça

13/04/2022 - 12:23:25

Deus de misericórdia! Para hoje é gratidão ao ALTÍSSIMO CRIADOR .O projeto POP na transamazônica está seguindo dentro do esperado. FLÁVIO MENDONÇA tem enfrentando com calma e muita segurança os percalços da viagem ...o que já era esperado. AMIGO ( leitor ) não gostaria de responder suas interrogações. As despesas têm sido muitas fugindo do orçamento... apoios ? Os já mencionados. Te agradeço por participar da nossa história.


Amigo

13/04/2022 - 08:35:58

Grato, Socorro. Vai ter o leilão da moto usada na aventura? Ela vai para algum museu? A HONDA nacional sabe disso? Ajudou ou esnobou? A Prefeitura valorizou essa grande oportunidade de colocar o nome PAULO AFONSO nas manchetes? Com todo respeito, ainda é tempo. Se eu fosse prefeito, autorizaria Pezão colocar o nome PAULO AFONSO no lado da moto ou em alguma sacola e empregaria bem empregado o dinheiro do contribuinte ajudando nas despesas. Queremos dizer AJUDAR!


Socorro Mendonça

12/04/2022 - 20:05:48

Desculpem, por um descuido o número 35 foi digitado, sem nenhum significado.


Socorro Mendonça

12/04/2022 - 19:57:41

AMIGO, como mãe deste aventureiro posso lhe responder sobre: - como foi citado acima, ele costuma viajar em motos de até 1000 cilindradas, para Isto, bem equipado, o que sempre causou muita curiosidade ao chegar nos lugares. Ele decidiu fazer diferente e elaborou este projeto, comprou a POP 110, organizou - se e partiu.Pq em abril ? O projeto seria nas férias escolares, pois a esposa iria acompanha - lo neste desafio. Pq sozinho ? ELE sempre disse, eu não vou só...DEUS está contigo.35 E assim tem transmitido para a família segurança, coragem, alegria e a realização dos objetivos propostos : divulgar a nossa cidade PAULO AFONSO e incentivar aos MOTOCICLISTAS possuidores de motos com menos tecnologias a viverem esta aventura linda em duas rodas.


amigo

12/04/2022 - 19:05:36

Como amigo que está viajando junto lendo os comentários bem resumidos do prof. Antônio Galdino, se possível gostaria de saber: por que viajou sozinho e não em grupo, por que em abril, por que uma moto pequena, a solidariedade dos pessoal é só por curiosidade, se algum idoso em Jacareacanga se lembra da revolta de alguns oficiais da Aeronáutica no governo de Juscelino; os oficiais se refugiaram em Jacareacanga.


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2022 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12