Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
Professor Galdino

Morreu Arnaldo Jabor. Vamos sentir falta dos seus comentários...

Publicada em 15/02/22 às 16:00h - 357 visualizações

por Antônio Galdino


Compartilhe
Compartilhar a notícia Morreu Arnaldo Jabor. Vamos sentir falta dos seus comentários...  Compartilhar a notícia Morreu Arnaldo Jabor. Vamos sentir falta dos seus comentários...  Compartilhar a notícia Morreu Arnaldo Jabor. Vamos sentir falta dos seus comentários...

Link da Notícia:

Morreu Arnaldo Jabor. Vamos sentir falta dos seus comentários...
 (Foto: da Net)

O Brasil perdeu hoje um dos maiores pensadores desse país: Arnaldo Jabor. Cineasta, jornalista e exímio cronista, tinha o poder de colocar em suas palavras aquilo que muitos precisam ouvir. E fazia isso de forma elegante, com as ironias colocadas nos devidos lugares.

Seus textos ganharam o mundo.

Um AVC, ainda em dezembro o obrigou a ficar hospitalizado até hoje, 15 de fevereiro, quando ele nos deixou.

A televisão vai se ressentir da sua ausência comentando com sabedoria, momentos e situações em que o mundo dito moderno, especialmente o Brasil dos nossos dias, apresentava.

Em sua homenagem apresentamos esse texto em que ele, o pensador Arnaldo Jabor, faz comparações com os dias de hoje e outros, do passado, memórias imorredouras de uma época de respeito e valorização de pessoas como os professores, tão maltratados hoje pelas escolas, pelos alunos, pelos pais, pela sociedade...

E viva Arnaldo Jabor! 

(Antônio Galdino)

Homenagem a ARNALDO JABOR

“Fui criado com princípios morais comuns:

Quando eu era pequeno, mães, pais, professores, avós, tios, vizinhos, eram autoridades dignas de respeito e consideração. Quanto mais próximos ou mais velhos, mais afeto. Inimaginável responder de forma mal educada aos mais velhos, professores ou autoridades… Confiávamos nos adultos porque todos eram pais, mães ou familiares das crianças da nossa rua, do bairro, ou da cidade… Tínhamos medo apenas do escuro, dos sapos, dos filmes de terror… Hoje me deu uma tristeza infinita por tudo aquilo que perdemos. Por tudo o que meus netos um dia enfrentarão.

Pelo medo no olhar das crianças, dos jovens, dos velhos e dos adultos. Direitos humanos para criminosos, deveres ilimitados para cidadãos honestos. Não levar vantagem em tudo significa ser idiota. Pagar dívidas em dia é ser tonto… Anistia para corruptos e sonegadores… O que aconteceu conosco? Professores maltratados nas salas de aula, comerciantes ameaçados por traficantes, grades em nossas janelas e portas. Que valores são esses? Automóveis que valem mais que abraços, filhas querendo uma cirurgia como presente por passar de ano. Celulares nas mochilas de crianças. O que vais querer em troca de um abraço? A diversão vale mais que um diploma. Uma tela gigante vale mais que uma boa conversa. Mais vale uma maquiagem que um sorvete. Mais vale parecer do que ser… Quando foi que tudo desapareceu ou se tornou ridículo?

Quero arrancar as grades da minha janela para poder tocar as flores! Quero me sentar na varanda e dormir com a porta aberta nas noites de verão! Quero a honestidade como motivo de orgulho. Quero a vergonha na cara e a solidariedade. Quero a retidão de caráter, a cara limpa e o olhar olho-no-olho. Quero a esperança, a alegria, a confiança! Quero calar a boca de quem diz: “temos que estar ao nível de…”, ao falar de uma pessoa. Abaixo o “TER”, viva o “SER”. E viva o retorno da verdadeira vida, simples como a chuva, limpa como um céu de primavera, leve como a brisa da manhã!

E definitivamente bela, como cada amanhecer. Quero ter de volta o meu mundo simples e comum. Onde existam amor, solidariedade e fraternidade como bases. Vamos voltar a ser “gente”. Construir um mundo melhor, mais justo, mais humano, onde as pessoas respeitem as pessoas. Utopia? Quem sabe?… Precisamos tentar… Quem sabe comecemos a caminhar transmitindo essa mensagem… Nossos filhos merecem e nossos netos certamente nos agradecerão!”

Arnaldo Jabor




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

4 comentários


Socorro Mendonça

16/02/2022 - 14:30:10

Parabéns pela escolha deste texto que tão bem representa ARNALDO JABOR, como ser humano ainda capaz de sonhar, sentir saudades e idealizar o belo através da arte.Como profissional destacou_se em tudo que propôs fazer e partiu deixando o melhor de si como exemplo a ser segundo


Klaucius de Morais

15/02/2022 - 17:29:33

Hoje é uma data que o plano terrestre fica mais pobre em cultura. Morre uma das cabeças mais pensantes no Brasil: Viva nas nossas memórias Arnaldo Jabor!!!h45272


Marcos Antônio Lima

15/02/2022 - 16:37:48

Realmente, uma grande perda para o nosso cenário Leterocultural.


Maria Helena de Souza e Silva

15/02/2022 - 16:19:45

Minha identificação com as crônicas dele, é imensa , quando eu acabava de ler , dizia para mim , como eu gostaria de escrever assim . Ele se foi , mas deixou em mim o que eu gostaria de escrever e, muita admiração pelo o profissionalismo tb. Será recebido com braços abertos no lugar que merece ,. Viva Arnaldo Jabor


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2022 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12