Terça-feira, 14 de Julho de 2020
Regional

Morre Luiz Vieira, o “menino passarinho”, aos 91 anos

Publicada em 17/01/20 às 08:48h - 475 visualizações

por Redação Folha Sertaneja


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: divulgação)

Ele nasceu no Nordeste, em Caruaru, capital do Agreste em 12 de Outubro de 1928. Faleceu no Rio de Janeiro, onde morava desde menino ainda, em 16 de Janeiro de 2020, aos 91 anos de idade. Foi cantor (ele preferia que o chamassem de cantador), compositor e radialista brasileiro.

Seu nome Luiz Rattes Vieira Filho foi-lhe dado em homenagem ao avô. Ele perdeu a mãe com apenas dois anos de idade. Antes dos dez anos mudou-se para o Rio de Janeiro, sendo criado pelo avô em Alcântara, município de São Gonçalo. Na ex-capital federal exerceu diversas atividades antes de ingressar na vida artística. Foi chofer de caminhão, motorista de táxi, guia de cego, engraxate e lapidário. Em criança cantou em circos e parques de diversão. Aos oito anos, produziu sua primeira composição.


No início da sua carreira cantava músicas românticas, valsas e samba-canções. No programa de Renato Murce, no Rio, imitou Vicente Celestino. Foi crooner de orquestra num cabaré do bairro da Lapa, no Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Conseguiu ser contratado pela rádio Tupi, por intermédio de Paulo de Grammont. Em 1950, acabou sendo contratado pelas rádios Tupi e Record, de São Paulo, que pertenciam às Emissoras Associadas.

A canção Menino de Braçanã, de 1953, foi seu primeiro sucesso, na voz de Roberto Paiva e, em seguida, o cantor Ivon Curi gravou-a.


Em 1954, era cantor da rádio e televisão Record de São Paulo, permanecendo até 1961. Trabalhava na rádio Nacional (CBN) - 1959. Encontro com Luiz Vieira, o programa da TV Excelsior, canal 9, de São Paulo, estreou no ano de 1962. Neste mesmo ano Vieira ganhou as paradas de sucesso com a canção Prelúdio Pra Ninar Gente Grande, mais conhecida como Menino Passarinho. Em 1963 gravou outro grande sucesso, Paz do Meu Amor (Prelúdio nº 2).


Chegou a fazer diversas viagens aéreas por semana, para fazer cinco programas de televisão. Viajava do Ceará ao Rio Grande do Sul. Foi locutor da Rádio Manchete[3].

Não gostava de ser chamado de cantor, mas, sim, de cantador. Luiz Vieira era um estudioso das músicas de cordel.


Vieira morreu em 16 de janeiro de 2020, aos 91 anos, depois de ser levado para o hospital após passar mal na noite anterior. (Fonte: Wikipédia)

 




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2020 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12