Sexta-feira, 05 de Junho de 2020
Regional

O livro De Gameleira à Colônia, uma saga nordestina será lançado dia 18 de Maio no Povoado Colônia município de Santa Brígida

Na programação, apresentação do Mineiro Pau e presença da ALPA e autoridades de Santa Brígida e da região

Publicada em 10/05/19 às 18:46h - 581 visualizações

por Antônio Galdino


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: Divulgação de Marcos Antônio)

O livro De Gameleira à Colônia, uma saga nordestina, do escritor e poeta Imortal da Academia de Letras de Paulo Afonso, Marcos Antônio Lima, será lançado no Povoado Colônia, em Santa Brígida, no sábado dia 18 de Maio, a partir das 14 horas e 30 minutos no Clube do Povoado Colônia, no município de Santa Brígida – BA.

O evento contará com a presença do Prefeito Gordo de Raimundo, vereadores e autoridades de Santa Brígida, membros da ALPA e será aberto com a apresentação do Mineiro Pau.

“Esse Grupo existe desde 1963. Foi criado pelo Sr. José Alberto Pereira, mais conhecido por Tuca, que era cego e morava na Serra da Santa Cruz. Seu Tuca faleceu em 1993, e o Grupo passou a ser dirigido pelo Sr. Mané de Dão (foto abaixo) que faleceu em 08 de novembro de 2018. O Grupo Mineiro Pau passou então a ser dirigido por seus filhos e um amigo que mora em Santa Brígida, como informa o escritor Marcos Antônio.

“O livro De Gameleira à Colônia, uma saga nordestina, tem 277 páginas, e está dividido em sete capítulos que retratam, amiúde, histórias relacionadas à reforma agrária, cultura religiosa, e perseverança sertaneja vividos intensamente pelo Sr. Apolinário Domingos Neto que nasceu em julho de 1922 no Distrito de Mariana, situada no sertão pernambucano, filho de Manoel Domingos da Silva e Maria Paulina de Jesus e imigrou para o Distrito de Santa Brígida – BA em meados de outubro de 1948”, diz o seu autor, Marcos Antônio.

“As poucas tralhas em que consistia toda a sua bagagem couberam no lombo de seu jumentinho “Passageiro”. Caminhando lado a lado de sua jovem esposa Idalina, fizeram a pé, todo o percurso que separava Mariana em Pernambuco, do Distrito de Santa Brígida na Bahia, para tornar-se a pedra mor do Povoado Colônia de Santa Brígida – BA”, diz ainda o escritor e conclui:

“Hoje, Seu Apolinário tem 96 anos e é forte quanto a aroeira, árvore símbolo da região que tantos homens destemidos pisaram. Ele continua morando no Povoado Colônia e é um dos presentes esperados no lançamento do livro que conta a sua história”.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

2 comentários


José Reginaldo da Hora

11/05/2019 - 20:32:11

É gratificante como filho de Santa Brígida, com nascimento no povoado Colônia. Meu avô materno (Júlio Vieira da Silva mais conhecido como Júlio Ribeiro) foi integrante do grupo mineiro pau, assim como tantos migrou do estado de Alagoas para a gameleira. O meu avô paterno (Sizino Mendes da Hora) teve uma participação importante no povoado Colônia, antes de chegar a eletricidade fornecida pela CHESF, o Sr. Sizimo como era conhecido, as 18:00hs realizava a ligação do motor gerador para iluminação das residências, e as 22:00hs o desligamento do mesmo. Quanto ao Sr. Apolinário sem comentários é uma lenda viva. Hoje tenho residência em São Paulo, mas pretendo e preciso adquirir este livro, obrigado a todos que contribuíram e idealizaram a edição da obra.


Marcos Antônio Lima

10/05/2019 - 19:27:41

Será um evento marcante, e entrará nos anais da história Santabrigidense. Muito obrigado, ao Jornal Folha Sertaneja, sempre apoiando a cultura regional.


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2020 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12