Sexta-feira, 05 de Junho de 2020
Política

Breve história da presença das Mulheres no Parlamento de Paulo Afonso

Em 61 anos de vida a Câmara Municipal de Paulo Afonso só teve 9 mulheres vereadoras

Publicada em 02/04/20 às 15:47h - 413 visualizações

por Antônio Galdino


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: Arq. do jornal Folha Sertaneja)


O município de Paulo Afonso foi emancipado em 28 de Julho de 1958 e completa 62 anos daqui a menos de 4 meses.

Em outubro de 1958 foi realizada a primeira eleição no município sendo eleito prefeito o comerciante Otaviano Leandro de Morais e com ele foram eleitos também os primeiros 8 vereadores de Paulo Afonso.

O prefeito e os vereadores tomaram posse no dia 07 de abril de 1959. A Câmara Municipal de Paulo Afonso completa então, no doa 07 de abril, 61 anos de instalação.

Ao longo dessas seis décadas de história a CMPA teve mais de 220 vereadores e destes, apenas 9 mulheres ocuparam as cadeiras do plenário desta Casa Legislativa como vereadoras.

Ainda na primeira legislatura, entre os 8 vereadores eleitos em outubro de 1958, estavam duas mulheres: Dinalva Simões Tourinho e Lisette Alves dos Santos, ambas filhas de pais muitos influentes na vida do município que começava. Dinalva, filha do Sr. Enoch Pimentel Tourinho importante chefe do Serviço de Transporte de Chesf e anos depois diretor do Ginásio Paulo Afonso e Lizette, irmã da professora Lindinalva Cabral dos Santos, chefe das Bandeirantes e ambas filhas do Sr. Severino Alves dos Santos, conhecido como Severino Dentista que frequentemente recebia políticos baianos em sua casa.

Dinalva Simões foi também eleita a primeira presidente da Câmara de Vereadores de Paulo Afonso.

Quando estávamos fazendo a pesquisa para o lançamento do livro “De Pouso de Boiadas a Redenção do Nordeste”, lançado em 1995, conversamos com vários dos vereadores pioneiros, dentre eles Diogo Andrade Brito que nos disse:

“A vereadora Dinalva Tourinho foi eleita, graças a grande influência do seu pai, Enoch Pimentel Tourinho, então chefe do Serviço de Transporte da Chesf e principal articulador para a construção do Ginásio Paulo Afonso, o GPA”.

E, dizia mais Diogo, “essa influência também ajudou na sua eleição como primeira presidente do Legislativo Municipal mas a vereadora, que já estudava em Salvador teve pouca atuação na Câmara de Paulo Afonso. Já na terceira sessão da Câmara licenciou-se por 60 dias para continuar seus estudos na capital do Estado e retornou à Câmara nas férias escolares do meio do ano. Em 20 de outubro de 1959 afastou-se em definitivo do Legislativo Municipal sendo a presidência ocupada pelo vice-presidente, vereador Luiz Mendes Magalhães”.

A vereadora Lizette Alves dos Santos, ainda mora em Paulo Afonso e, como era professora, como a irmã Lindinalva, foi grande apoiadora do Prefeito Otaviano Leandro de Morais nas ações ligadas à educação como a criação da primeira escola municipal de Paulo Afonso, no Povoado Juá.

Depois dessa primeira legislatura, que se encerrou em 7 de abril de 1963, só 20 anos depois, na 7ª Legislatura, de 1º de janeiro de 1983 a 31 de dezembro de 1988, a Câmara de Paulo Afonso voltou a ter mulheres entre os vereadores, quando foram eleitas, em outubro de 1982 e empossadas em 01/01/1983, as vereadoras Maria José Barros Lins e Francisca Barros de Sousa Siebert, num quadro de 13 vereadores.

Como Dinalva, a médica Francisca Barros também exerceu a presidência do Legislativo Municipal de Paulo Afonso, no período de 01 de março de 1984 a 31 de dezembro de 1985. Tendo sido eleita Vice-Prefeita na chapa do também vereador José Ivaldo de Brito Ferreira, assumiu este cargo no Executivo Municipal em 1º de janeiro de 1986.

Com as saídas dos vereadores José Ivaldo e Francisca Barros, assumiram os suplentes Alcione Almeida, também médico, e João Francisco de Brito.

Em 1989, na 8ª legislatura municipal que foi até 31 de dezembro de 1992, ainda com 13 vereadores, ocupa uma cadeira na Câmara outra médica, Nélia Correia da Silva Souza que teve uma atuação destacada na Câmara Municipal Constituinte, instalada em 10 de novembro de 1989, cujos trabalhos resultaram na criação da Lei Orgânica do Município de Paulo Afonso, promulgada em 21 de junho de 1990. O presidente da Câmara Constituinte foi o vereador Luiz Carlos de Carvalho.

Na 9ª legislatura, de 1º de janeiro de 1993 a 31 de dezembro de 1996, agora com 15 vereadores, a suplente de vereadora Ivanete Avelino Bento assume a cadeira deixada pelo vereador Orlando Carvalho Lima, cassado pelo Poder Legislativo em 4 de julho de 1994.

Ivanete Bento é reeleita nas duas legislaturas seguintes, a 10ª, de 1º de janeiro de 1997 a 31 de dezembro de 2000, com 15 vereadores e a 11ª legislatura, de 1º de janeiro de 2001 a 31 de dezembro de 2004, com 17 vereadores.

Na 11ª legislatura também se reelege Francisca Barros Siebert, para outro mandato na Câmara de Paulo Afonso e elege-se Risalva Maria de Toledo, pioneira da emancipação política de Paulo Afonso que havia sido vice-prefeita na gestão do prefeito Luiz Barbosa de Deus.

Esta 11ª legislatura da Câmara de Paulo Afonso, com 17 vereadores, teve três mulheres: Ivanete Bento (em seu terceiro mandato), Francisca Barros (no segundo mandato) e Risalva Toledo.

Para a 12ª legislatura, de 01 de janeiro de 2005 a dezembro de 2008, com 11 vereadores, foi eleita Vanessa Rodrigues Barbosa de Deus.

Só 6 anos depois da saída da vereadora Vanessa, a Câmara Municipal de Paulo Afonso voltou a ter outra mulher no parlamento com a posse da suplente Leda Maria Rocha Araújo Chaves a Irmã Leda, na sessão ordinária do dia 08 de Dezembro de 2014.

Ela substituiu o vereador Juvenal Teixeira dos Santos, que faleceu em 28 de novembro de 2014. A vereadora Leda Chaves concluiu este mandato e foi reeleita em 2016 para novo mandato na Câmara Municipal de Paulo Afonso.

O Tribunal Superior Eleitoral indica que 30 por cento dos candidatos de cada partido devem ser de mulheres mas parece que em Paulo Afonso não tem havido muito interesse para que as mulheres preencham essas vagas. Até aparecem algumas candidatas mas, nesses 61 anos de história da Câmara Municipal de Paulo Afonso, somente 9 mulheres chegaram a ocupar cadeiras deste parlamento municipal.

Mulheres vereadoras em Paulo Afonso:

Dinalva Simões Tourinho (1959/1963) – Foi presidente da Câmara

Lisette Alves dos Santos (1959/1963)

Maria José Barros Lins (1983/1988)

Francisca Barros de Sousa Siebert (1983/1985). Foi presidente da Câmara. De 1986 a 1988 foi vice-prefeita de Paulo Afonso. Reeleita vereadora de 2001/2004.

Nélia Correia da Silva Souza (1989/1992)

Ivanete Avelino Bento (Julho de 1994/1996) e de 1997/2000 e 2001/2004

Risalva Maria de Toledo – Vice-prefeita de 1989/1992 e vereadora de 2001/2004

Vanessa Rodrigues Barbosa de Deus – 2005/2008

Leda Maria Rocha Araújo Chaves, de Dez de 2014/2016 e 2017/2020.

(Fonte; Livro De Forquilha a Paulo Afonso - História e Memórias de Pioneiros - 2014. De Antônio Galdino da Silva)




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

1 comentários


Patrícia Santos

29/05/2020 - 18:59:11

Que matéria maravilhosa! Estive pesquisando este tema e não havia material assim tão completo. Obrigada, professor.


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2020 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12