Quarta-feira, 15 de Julho de 2020
Local

A Academia de Letras e o jornal Folha Sertaneja homenageiam o Bairro Tancredo Neves pelo seu cinquentenário

Publicada em 29/05/20 às 23:37h - 317 visualizações

por Antônio Galdino


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: Arq. do jornal Folha Sertaneja)


Em seu Informativo datado de 28 de maio, a Academia de Letras de Paulo Afonso presta homenagens ao Bairro Tancredo Neves, que nasceu chamado Bairro Mulungu em 1970, quando a Chesf iniciou as obras de construção do Canal da Usina Paulo Afonso 4 e o seu trajeto passava por lugares onde moravam famílias humildes de Paulo Afonso.

A ação de retirada das famílias do Riacho do Grito, Gangorra, Bairro da Lagoa e Bairro do Forno, onde também estavam as olarias que era a fonte de renda dessas família começou de forma agressiva, com o uso de tratores pela Chesf, para derrubar as suas casas humildes, até que, após a ação do Padre Manoel Alcides postando-se em frente aos tratores fez com que esse ato chegasse ao conhecimento do presidente da Chesf, através dos Padres Lourenço Tori e Mário Zanetta, recém-chegados a Paulo Afonso.

O presidente da Chesf, Apolônio Sales, assistia a uma missa na Igreja de N.S. de Fátima quando, em seu sermão o Padre Lourenço falou dessa situação. Ao ouvir, o presidente Apolônio Sales, logo após a missa se reuniu com os padres, foi melhor informado do que estava acontecendo e mandou suspender esta ação e outras medidas foram tomadas para o deslocamento desses moradores para o local que passou a se chamar Bairro Mulungu.

Estas ações iniciais começaram na gestão do prefeito Edison Teixeira Barbosa que foi eleito em outubro de 1966, tomou posse em 1º de fevereiro de 1967 e deveria deixar o cargo em 31 de dezembro de 1970 mas foi mantido no cargo pelo governo militar, em vigor no país desde março de 1964.

Como município de Paulo Afonso foi considerado área de segurança nacional, foram suspensas as eleições municipais para prefeito, sendo Edison Teixeira, o terceiro prefeito de Paulo Afonso, o último eleito. O seu mandato foi esticado e ele ficou no cargo até 14 de maio de 1974, quando renunciou para concorrer a uma vaga de deputado estadual na Bahia, sem sucesso.

O Bairro Mulungu permaneceu com esse nome até o dia 4 de março de 1986 quando, pelo Lei Municipal 491/86, de 03/03/1986, sancionada pelo Prefeito José Ivaldo de Brito Ferreira em 04/03/1986 o Mulungu passou a se chamar Bairro Presidente Tancredo Neves, segundo o ex-prefeito José Ivaldo, “em atenção a um abaixo-assinado com 5 mil assinaturas de moradores do bairro pedindo essa mudança do nome Mulungu”.

Mas, somente pela Lei Municipal Nº 1.258, de 7 de dezembro de 2012, na gestão do prefeito Anilton Bastos Pereira, foi definido o dia 10 de maio como sua data de criação.

Em 10 de maio de 2020 este importante Bairro de Paulo Afonso completou seu cinquentenário, enquanto o município de Paulo Afonso completará 62 anos de emancipação em 28 de julho deste ano.

Também o jornal Folha Sertaneja, em sua edição de Nº 193, dedica mais de 7 das suas 14 páginas a matérias e homenagens a este bairro cuja população é estimada entre 45 e 50 mil habitantes, sendo de grande importância para mudar o resultado de uma eleição para prefeito de Paulo Afonso.

Esta edição do jornal Folha Sertaneja mostra que a história deste bairro foi construída então ao longo desses 50 anos por todos os prefeitos, eleitos, substituídos pelos presidentes da Câmara, seus sucessores imediatos uma vez que não havia o vice-prefeito até 1985, os nomeados pelo governo militar e vice-prefeito (pós-1985) até os dias atuais.

O município de Paulo Afonso teve os seguintes prefeitos:

Otaviano Leandro de Morais (Abr/1959- Abr/1963); Adauto Pereira de Souza (Abr/1963-Set/1966). Adauto Pereira renunciou em 14/09/1966. Foi substituído pelo presidente da Câmara, Manoel Pereira Neto (Set/1966 – Dez/1966). No mês de janeiro de 1967, até a posse do prefeito eleito, Edison Teixeira, o município de Paulo Afonso foi dirigido pelo Tenente João Soares, como interventor (1º/Jan/1967 - 1º/Fev/1967). Edison Teixeira Barbosa, eleito em Outubro de 1966, tomou posse em 1º de Fevereiro de 1967.

Paulo Afonso vivia, como todo o Brasil, a época do governo militar iniciado em março de 1964. O município de Paulo Afonso havia sido considerado como “área de segurança nacional” e por conta dessa decisão do governo militar federal elegeu o seu último prefeito em 1966, o médico pediatra chesfiano Edison Teixeira Barbosa e, como não havia mais eleição para prefeito, o seu mandato foi esticado até 1974, quando ele renunciou.

Desde a sua criação, o Bairro Mulungu/Tancredo Neves viu passar pela gestão do município de Paulo Afonso 16 prefeitos, de Edson Teixeira, em 1970 a Luiz de Deus, em 2020, sendo seis deles só nos primeiros 9 anos de vida deste bairro. Nesse tempo, não havia o vice-prefeito e o presidente da Câmara era o substituto imediato do prefeito.

Foram eles:

Edson Teixeira Barbosa (Fev/1970 – Mai/1974) – mandato esticado pelo governo militar;

Abel Barbosa e Silva (Mai/1974 -Out/1975) – era o presidente da Câmara;

José Rodrigues de Figueiredo Barbosa (Out/1975 - Mar/1979) – nomeado pelo governo militar, por indicação do governador da Bahia, Roberto Santos;

Metódio Nunes Magalhães (Mar/1979 - Abr/1979) – era o presidente da Câmara;

Frederico Fausto Agostinho de Melo (Abr/1979 - Ago/1979) – era o presidente da Câmara;

Abel Barbosa e Silva (Ago/1979 – Dez/1985) nomeado pelo governo militar, por indicação do governador da Bahia, Antônio Carlos Magalhães.

Terminado o governo militar, com a volta das eleições foram eleitos prefeitos e vice- -prefeitos de Paulo Afonso:

José Ivaldo de Brito Ferreira (vice-prefeita – Dra. Francisca Barros Souza Siebert) - (Jan/1986 – Dez/1988).

Luiz Barbosa de Deus (vice-prefeita – Risalva Toledo) - (Jan/1989 – Dez/1992).

Anilton Bastos Pereira (vice-prefeito – Gilson Fernandes)- (Jan/1993 – Dez/1996).

Paulo Barbosa de Deus (vice- -prefeito – Petrônio Nogueira) - (Jan/1997 – Dez/2000).

Paulo Barbosa de Deus (vice-prefeito – Wilson Pereira)(Jan/2001 – Mar/2004).

Wilson Pereira – era o vice-prefeito de Paulo de Deus. Foi prefeito de (Abr/2004 –Dez/2004).

Raimundo Caires Rocha (vice-prefeito – Francisco Alves Araújo)-(Jan/2005 – Dez/2008).

Anilton Bastos Pereira (vice-prefeito – Jugurta Nepomuceno Agra)-(Jan/2009 – Dez/2012).

Anilton Bastos Pereira (vice-prefeito – Jugurta Nepomuceno Agra)-(Jan/2013 – Dez/2016).

Luiz Barbosa de Deus (vice-prefeito – Flávio Henrique Magalhães Lima) (Jan/2017– Dez/2020).

NOTA DA REDAÇÃO:

Os interessados em receber esta edição 193 completa do jornal Folha Sertaneja e outras edições enviem seus e-mails ou whatspp para o E-mail – professor.gal@gmail.com. Ou mensagem para o whatsapp – 75-992340-1740.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

2 comentários


José Maria de Souza

02/06/2020 - 08:52:39

Conteúdo muitíssimo valoroso para a pesquisa escolar e desde já agradecido pela justa homenagem aos 50 anos do BTN.Cientes que temos muito a construir, continuaremos na luta,portanto,manteremos o propósito do bem comum!!


Isac Oliveira

30/05/2020 - 12:38:30

Excelente matéria! Reavivando as memorias dos poucos que ainda estão vivos e que contribuíram para o nascimento do Bairro e trazendo para outro, o valor dessa história para toda Paulo Afonso. De minha parte, altinense de nascimento e pauloafonsino por adoção, vejo um encontro feliz entre mim e o meu conterrâneo Apolônnio Sales, ambos estamos ligados a nossa linda Paulo Afonso. O que me deixa imensamente orgulhoso.


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2020 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12