Sábado, 30 de Maio de 2020
Colunistas

A fala de Bolsonaro – como ser “do contra”

Publicada em 26/03/20 às 11:46h - 426 visualizações

por Francisco Nery Júnior - Atualizado em 26/03/2020 às 21:47


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: Da net)


O presidente irritou a nação. Alguns romperam com ele, que, com todo rompante, havia investido contra a sentimento – e o medo – geral. Outros vacilaram e poucos ponderaram. Jair Bolsonaro, digamos, destoou. A hora, pessoal, não seria eminentemente de “ponderar”? Ponderação não é também exercício da democracia? O que é isso de “fora” fulano a toda hora, desde o Governo Sarney passando pelo episódio Collor? Não estamos cansados de impeachment a começar pela renúncia de Deodoro ou, mais para trás, pela abdicação de Dom Pedro I?


De fato, após a reação abrupta inicial de quase todos nós, alguns frutos extemporâneos caíram no chão. Uns poucos arriscaram ponderar se o remédio poderia matar o paciente. 


Falamos do travamento total das atividades sociais e econômicas. Claro que o vírus, nosso inimigo mortal insidioso, não é brincadeira. Claro que não se pode projetar nada prevendo a morte “inevitável” de um grupo de pessoas (no caso os idosos). Estaríamos, assim, justificando a política de Adolf Hitler de eliminar os inválidos.


Noé, João Batista (às vezes Moisés) e Galileu ficaram sozinhos. Winston Churchill em vão tentou alertar os ingleses e o mundo para o perigo da ascensão de Hitler. Destoaram. Saíram do tom. Perderam a toada. Eles, porém, estavam certos. Foram visionários. Tiveram o privilégio da visão que a todos os outros foi negado.


Então, para não ser cansativo, e para encerrar, não se tratando de defender quem quer que seja, mesmo um presidente eleito legitimamente, posterguemos, digamos assim, nosso julgamento. Vamos pelo centro evitando os maus conselhos. Há muita gente equilibrada nos postos altos da nossa democracia. De fato, dizia o Padre Léo, cuidado com o guru que você segue.


Tomemos nossas medidas de precaução. Evitemos, sim, as aglomerações e os contatos físicos tradicionais e ponderemos a nossa cólera.  Cristo foi o maior praticante do isolamento. Então ele orava, meditava e se mantinha atento à linha de comando vinda do Pai. E deu certo! Só uma questão de dar um pouco de tempo ao tempo.


Francisco Nery Júnior




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

7 comentários


José Ivandro

27/03/2020 - 09:14:17

Caro Nery,Você que tenho um apreço enorme por você, desde as aulas de inglês da 7ª série, lá nos idos de 1977, no entanto discordamos em vários aspectos da vida politica, mas sempre com muito respeito. Na verdade a pergunta no final do texto não era exatamente pra você que sei que é o mais idoso dos idosos da tua rua rsrsrsrs (isso é plágio) e sim para os seus leitores que devem refletir sobre o que é mais importante, por em risco a vida dos que ama, para tentar salvar uma economia fadada a afundar em razão da crise econômica que virá pós pandemia, ou protegê-los mantendo o isolamento social que pode salvar muitas vidas e deixar a responsabilidade de salvar a economia na mão do governo responsável que é por isso.O abalo na economia não se dará por que a loja da esquina fechou, se dará por que a economia mundial entrará numa terrível recessão, e o Brasil que depende das exportações sofrerá um grande abalo. Vai ser preciso recomeçar em muitos setores.


F. Nery Jr.

27/03/2020 - 08:30:36

Texto substituído. Apenas um a pelo o na terceira linha. Mas nosso leitor é esperto, pronto e acabou como diz nosso Datena. Ponto pra redação.


F. Nery Jr.

27/03/2020 - 08:22:48

Na pressa de publicar, faltou o burilamento do texto. Passaram, inclusive, erros e imprecisões. Consertamos e desculpem-nos a falha. Nós,professores de português, Luiz José um dos melhores, sabemos da nossa responsabilidade de oferecer textos dignos dos estudantes e amantes da nossa língua que é bela de morrer. Remeti o texto melhorado para nosso redator-chefe, Antônio Galdino, também professor de português tarimbado que, creio, fará a substituição. Nós sempre lhe complicamos a vida.


DENILSON SOUZA

26/03/2020 - 23:58:11

Parabéns pelo excelente texto, Nery Jr!!! Pontuou brilhantemente os principais eventos que ocorrem no dia a dia e que precisamos refletir, evitando - dessa forma, ponderações aéreas demais.


F. Nery Jr.

26/03/2020 - 15:30:54

O comentário do amigo Zé Ivandro só valoriza o debate. Agora, Zé, aqui em casa o idoso sou eu! Estou no grupo de risco [maior], cara. Um abraço.


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (75)99234-1740

Copyright (c) 2020 - Jornal Folha Sertaneja Online - Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12