• Tamanho da letra:
  • -A
  • +A

Início » Especiais

05.07.2015 | 21:02

 

É preciso salvar o rio São Francisco. Urgentemente!

Usina Apolônio Sales e PA I, PA II e PA III estão paradas.

Antônio Galdino

Bahiatursa
Canion do rio São Francisco entre Paulo Afonso e Xingó

Canion do rio São Francisco entre Paulo Afonso e Xingó

 No dia 20 de junho empresários do Arranjo Produtivo Local (APL) Turismo Caminhos do São Francisco participaram do 1º Reflorestar Caatinga, em Delmiro Gouveia. A iniciativa tem como objetivo promover a recuperação ambiental da área dos cânions.
Na ocasião, empresários do APL e voluntários começam o plantio de três mil mudas de árvores, típicas da vegetação caatinga. Além disso, o 1º Reflorestar Caatinga promove palestras sobre Ações Ecológicas, Sustentabilidade e Reflorestamento Ambiental, ministradas por representantes da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf).

Segundo o gestor do APL Turismo Caminhos do São Francisco, Mauro Coutinho, o foco principal é o aumento da satisfação do turista por meio da preservação. “Através da qualidade do meio ambiente, podemos potencializar a atividade turística na região, onde os maiores atrativos são justamente as belezas naturais. Por isso, acreditamos que promover o reflorestamento ambiental é fundamental para o desenvolvimento do destino Cânions do Rio São Francisco”, como publicou o site www.ozildoalves.com.br.

Foto: Antônio Galdino
Cachoeira de Paulo Afonso, hoje

Cachoeira de Paulo Afonso, hoje

 Tomando como referência esta iniciativa da APL, empresários e voluntários alagoanos é importante que esta ação seja copiada por outras centenas de municípios em todo percurso do rio, desde a Serra da Canastra, em Minas Gerais até a sua foz, entre os Estados de Alagoas e Sergipe, porque o nosso sofrido rio São Francisco está praticamente abandonado pelos programas governamentais, seja dos estados por onde passa, seja do governo federal que na ansiedade de fazer o projeto de transposição do rio, em uma obra que se arrasta há anos, tem relegado a promessas vazias os projetos de revitalização do Velho Chico.

Foto: Antônio Galdino
Cachoeira de Paulo Afonso - 10/03/2007

Cachoeira de Paulo Afonso - 10/03/2007

Nunca é demais lembrar que a vazão do rio, na Cachoeira de Paulo Afonso já foi superior a 15 mil metros cúbicos por segundo. Hoje a cachoeira, a única no mundo que pode ser restaurada – se houvesse água – está seca e do complexo das cinco grandes usinas de Paulo Afonso, responsáveis por quase 50% de toda a produção de energia da Chesf, por fonte hidráulica, - Usinas Apolônio Sales, Paulo Afonso I, II, III e IV – apenas a Usina Paulo Afonso IV está funcionando porque a vazão do rio São Francisco foi reduzida, desde o reservatório de Sobradinho, a 900 metros cúbicos por segundo.

Da net.
Igreja de Petrolândia, coberta pelas águas do Reservatório de Itaparica, ressurge imponente

Igreja de Petrolândia, coberta pelas águas do Reservatório de Itaparica, ressurge imponente

 O reservatório de Sobradinho tem a capacidade de armazenar 34 bilhões de metros cúbicos e está com cerca de 20% de sua capacidade. O reservatório da barragem de Itaparica que tem a capacidade de armazenamento de 11 bilhões de metros cúbicos, está com apenas pouco mais de 16%.

O Velho Chico, de tantos usos – produção de energia elétrica, navegação, turismo, irrigação - além de preocupar pela possibilidade muito real de não se ter água suficiente para manter a vida na região, também está trazendo transtornos e desequilíbrio econômico para municípios da região como Paulo Afonso e Delmiro Gouveia que tiveram a sua receita vinda de valores de ICMS pela produção de energia elétrica reduzida bruscamente.

Arq. Folha Sertaneja
Usinas PA I, PA II, PA III (na foto) e Apolônio Sales, estão paradas. Falta água.

Usinas PA I, PA II, PA III (na foto) e Apolônio Sales, estão paradas. Falta água.

Como estão sem funcionar as Usinas Apolônio Sales (Alagoas-Delmiro Gouveia) e as pioneiras Paulo Afonso I, II e III, o trecho do início do cânion entre a Cachoeira (seca) de Paulo Afonso e a saídas das águas restituídas da Usina PA-IV, são uma triste imagem de rio morto.

Foto: Antônio Galdino
Cânion do rio São Francisco em Paulo Afonso-BA

Cânion do rio São Francisco em Paulo Afonso-BA

 O cânion do rio, entre Paulo Afonso/BA e Xingó (Canindé do São Francisco preservam sua beleza, mostrada em programas da rede Globo, Record, TV Brasil e outras, como aconteceu na sexta-feira, dia 19/06/2015 mas, há pouco tempo, também esteve na mídia nacional pelo aparecimento de uma mancha negra que prejudicou o abastecimento de águas em vários municípios alagoanos.

Daí, ser louvável a iniciativa de Mauro Coutinho e a todos os que tomam a si a preocupação de manter vivo esse rio, já considerado “rio da unidade nacional”, o Opará (rio-mar) para os índios pioneiros habitantes.

Foto: Antônio Galdino
Cânion do rio São Francisco logo após a ponte D. Pedro II em Paulo Afonso

Cânion do rio São Francisco logo após a ponte D. Pedro II em Paulo Afonso

 É verdade que o trecho de 65 quilômetros de cânion do rio São Francisco entre a Usina Paulo Afonso IV, em Paulo Afonso/BA e a barragem de Xingó, em Canindé do São Francisco/SE continua lindo, encantando milhares de turistas e merecendo espaços consideráveis do Globo Repórter, de programas jornalísticos de Tvs da Bahia, Sergipe, Pernambuco e de grandes emissoras de redes nacionais – Globo, Record, SBT, TV Brasil e outras.

Foto: Antônio Galdino
Catamarã no cânion do Velho Chico em Paulo Afonso-BA

Catamarã no cânion do Velho Chico em Paulo Afonso-BA

De vez em quando aparecem louváveis ações isoladas em alguns municípios e outras, como o Festival Literário de Paulo Afonso – FLIPA – organizado pela Faculdade Sete de Setembro – FASETE, sob a coordenação do Professor Luiz José, que trouxe à discussão este tema: O RIO SÃO FRANCISCO GRITA. OUVE? Uma mesa redonda formada pelo Prof. Dr Aleilton Fonseca, Profa. Dra. Rosana Patrício, Dr. Nerivaldo Alves e Prof. Msc. Antônio Galdino da Silva mostrou a necessidade urgente de que se abram os ouvidos para ouvir esse grito do rio que morre... O rio São Francisco vem, há muitos anos, pedindo socorro. E todos parecem (ou fingem) que estão surdos aos seus gritos.

Da net.
Desmatamento das margens do rio

Desmatamento das margens do rio

 E cabe aqui uma citação de Guimarães Rosa no seu livro Grande Sertão: Veredas. “O Sertão é do tamanho do mundo. Agora, por aqui, o senhor já viu: rio é só São Francisco, o Rio do Chico, O resto pequeno é vereda. E algum ribeirão”.

Da net
Theodomiro, o Velho do rio.

Theodomiro, o Velho do rio.

E nunca esquecer a frase de José Theodomiro de Araújo, pernambucano de Afrânio, de tantas ações e estudos em defesa do rio São Francisco, que dizia: “Este rio corre nas minhas veias e deságua no meu coração”.

No livro produzido em português e espanhol, Velho Chico, Uma Viagem Pictórica, de Otoniel Fernandes Neto, publicada em Abril do ano 2000, dentro das comemorações dos 500 anos do descobrimento do Brasil e patrocinado pela Chesf e outras empresas, com apresentação e prefácios de Marco Maciel, vice presidente da República, Rafael Greca, ministro do Esporte e Turismo e dos presidentes da Eletrobrás, Codevasf, Chesf, Infraero, há um texto de seis páginas de encerramento escrito por José Theodomiro de Araújo que conclui assim:

Da Net
Cachoeira Casca D`Anta, em Minas Gerais.

Cachoeira Casca D`Anta, em Minas Gerais.

 “Está enfraquecido o Velho Chico, e agoniza, jurado de morte que foi pela ganância e inconsciência dos seus próprio filhos. E quando ele morrer, no lugar onde hoje é a Cachoeira Casca D`Anta, nós, que o amamos, faremos fixar no paredão da serra o epitáfio: Por aqui passou um rio que foi destruído por um povo que usou a inteligência para praticar a burrice”.
Precisamos todos, imprensa, instituições interessadas na revitalização da vida do nosso Velho Chico, entrar firmes nessa luta, já que os governos, em todos os níveis, não tem feito esse dever de casa, há muito tempo... (por Antônio Galdino)

 

 

Foto: Antônio Galdino
Cachoeiras de Paulo Afonso - 2006.

Cachoeiras de Paulo Afonso - 2006.

Foto: Antônio Galdino
Cachoeira de Paulo Afonso - 2007

Cachoeira de Paulo Afonso - 2007

 

 

 

 

 

 

Foto: Arquivo Folha Sertaneja
Rio São Francisco

Rio São Francisco

Divulgação
Catamarã no rio São Francisco em Xingó

Catamarã no rio São Francisco em Xingó

 

 

 

 

 

 

Foto: Da net
Rio São Francisco

Rio São Francisco

Da net
Mancha negra no rio São Francisco

Mancha negra no rio São Francisco

 

 

 

 

 

 

Da net
Pôr do sol no Rio São Francisco

Pôr do sol no Rio São Francisco

Foto: Antônio Galdino
Nascer do sol no lago da Usina PA-IV - Paulo Afonso-BA - 05/12/2005

Nascer do sol no lago da Usina PA-IV - Paulo Afonso-BA - 05/12/2005

 

 

 

 

 

Enviar por e-mail

Insira até cinco e-mails, separados por vírgula





Deixe um comentário






O comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.